Afeganistão nega que território do país será usado para atacar vizinhos

Por efe
03 de Enero de 2020 7:39 PM Actualizado: 03 de Enero de 2020 7:39 PM

Cabul, 3 jan – O governo do Afeganistão, país onde estão milhares de tropas dos Estados Unidos, garantiu que o território não será utilizado para o ataque contra vizinhos, em referência a novos ataques após o que matou Qasem Soleimani, comandante da Força Quds, unidade especial dos Guardiões da Revolução Islâmica, do Irã.

“A República Islâmica do Afeganistão garante ao seu povo e a todos os países da região que, segundo o Acordo de Segurança com os EUA, o solo afegão, sob nenhuma circunstância, será utilizado contra qualquer país estrangeiro”, aponta comunicado divulgado nesta quinta-feira.

Ainda de acordo com a nota, o presidente do país, Ashraf Ghani, conversou por telefone com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, em que o chefe de governo do Afeganistão disse ter informado sobre a não possibilidade de uso do território para qualquer tipo de ação.

O governo afegão, inclusive, se disse preocupado com uma explosão de violência na região, e cobrou que americanos e iranianos resolvam os problemas através do diálogo.

Apesar da presença das tropas dos Estados Unidos durante os últimos 18 anos, o Afeganistão tem relações normais com os países vizinhos, inclusive, com o Irã.

De acordo com o Pentágono, o ataque realizado nos arredores do aeroporto de Bagdá, no Iraque, tinha como objetivo impedir futuros ataques dos militares iranianos contra diplomatas americanos no Iraque e na região, que estariam sendo planejados.

Além de Soleimani, também morreu o vice-presidente das Forças de Mobilização Popular (FMP), milícia iraquiana majoritariamente xiita, Abu Mahdi al-Muhandis.

PREOCUPAÇÃO NO SUL DA ÁSIA

Além do Afeganistão, os governos do Paquistão e da Índia também demonstraram preocupação com o desenrolar dos acontecimentos no Oriente Médio, e com as possíveis consequências de um conflito para a região.

Os paquistaneses, em nota, cobraram o cumprimento do respeito à soberania e à integridade territorial, que estão entre os princípios fundamentais da Carta da ONU, e também pediram que não aconteçam ações unilaterais e uso da força.

O Ministério das Relações Exteriores da Índia, por sua vez, emitiu comunicado em que destaca que “a paz, a estabilidade e a segurança da região são de suma importância para o país, assim, é vital que a tensão não se intensifique ainda mais”, aponta o texto.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.