Aprovação dos mexicanos ao governo de López Obrador diminuiu, segundo pesquisa

27 de Noviembre de 2019 3:26 PM Actualizado: 27 de Noviembre de 2019 3:26 PM

Por Debora Alatriste, Epoch Times

O instituto De las Heras publicou uma pesquisa sobre o desempenho do presidente Andrés Manuel López Obrador em seu primeiro ano de governo.

O teste com 10 perguntas foi aplicado entre 21 e 22 de novembro a 1.000 mexicanos acima de 18 anos, através de entrevistas telefônicas. As respostas medem e comparam as porcentagens em quatro datas relevantes: 100 dias, seis meses, primeiro relatório e primeiro ano de governo.

Quando perguntaram às pessoas se aprovavam ou desaprovavam o desempenho do presidente, 80% dos entrevistados disseram que aprovaram seu desempenho nos primeiros 100 dias do governo, no entanto, para este primeiro ano, o número caiu 68%. Enquanto 14% desaprovam a administração do presidente desde os primeiros 100 dias, agora o número aumentou para 25%.

Leia também:
Presidente mexicano: ‘Nunca aceitaremos’ que os EUA designem cartéis como terroristas

Quanto à opinião dos entrevistados sobre como estão sendo governados, 54% disseram 100 dias depois: “Muito bem, continue assim”. Aos seis meses, o número caiu 42%. No primeiro relatório, subiu três pontos e, no primeiro ano de governo, a opinião positiva diminuiu 13 pontos percentuais.

Os entrevistados que responderam “Muito mal, assim não chegaremos a lugar nenhum” representaram 7% nos 100 dias e no primeiro ano o número aumentou para 9%.

Quanto às notas que os mexicanos atribuíram ao presidente, nos primeiros 100 dias, 28% lhe atribuíram 10, mas no primeiro ano, apenas 21% mantiveram a qualificação. Em março, 42% deram notas entre 8 e 9 para o governo, mas o número caiu 40% para novembro. Desta forma, a média de 8,0 no início do mandato caiu para 7,1.

Outra questão apontou para o alinhamento ideológico com que López Obrador governa.

51% das pessoas o consideram liberal, enquanto 39% o consideram conservador. 72% o consideram uma pessoa sincera e 21% uma pessoa falsa. 79% acreditam que é um líder, enquanto 15% pensam o contrário. 67% acreditam que ele é capaz de resolver problemas, mas 25% consideram que não são. 73% dizem que ele tem experiência para governar, em contraste 23% dizem que não tem.

A diferença percentual mais significativa foi observada quanto à melhora da liberdade de expressão, 67% acreditam que melhorou e 20% piorou.

Quando perguntados se a imagem que tinham do presidente havia melhorado ou piorado, de 80% que consideravam que havia uma melhora no início de seu governo, o número caiu para 61% neste primeiro ano. E aqueles que consideraram que ela havia piorado nos primeiros 100 dias aumentaram de 13% para 30% no primeiro ano de governo.

47% consideraram que sua família vive melhor com a administração de López Obrador no início da mesma, mas o número subiu apenas 2 pontos no primeiro ano. Enquanto os que disseram estar piores, 12%, nos 100 primeiros, dobraram para 24%.

Outros aspectos, como saúde, educação, emprego, etc. também foram avaliados.

Quanto à melhora ou piora dos serviços públicos de saúde, 45% estavam satisfeitos, enquanto 36% não. Em relação à criação de empregos, 49% sentiram que melhorou e 31 não; e na economia 48% disseram que houve uma melhoria superior a 35% que apresentou queda. A diferença percentual não é maior que 18 pontos.

De acordo com o instituto De Las Heras, um dos objetivos dessa entidade é “fornecer informações confiáveis, honestas e perfeitamente documentadas à sociedade mexicana, sobre a realidade de nosso país”.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.