Aprovação dos mexicanos ao governo de López Obrador diminuiu, segundo pesquisa

27 de Noviembre de 2019
Actualizado: 27 de Noviembre de 2019

Por Debora Alatriste, Epoch Times

O instituto De las Heras publicou uma pesquisa sobre o desempenho do presidente Andrés Manuel López Obrador em seu primeiro ano de governo.

O teste com 10 perguntas foi aplicado entre 21 e 22 de novembro a 1.000 mexicanos acima de 18 anos, através de entrevistas telefônicas. As respostas medem e comparam as porcentagens em quatro datas relevantes: 100 dias, seis meses, primeiro relatório e primeiro ano de governo.

Quando perguntaram às pessoas se aprovavam ou desaprovavam o desempenho do presidente, 80% dos entrevistados disseram que aprovaram seu desempenho nos primeiros 100 dias do governo, no entanto, para este primeiro ano, o número caiu 68%. Enquanto 14% desaprovam a administração do presidente desde os primeiros 100 dias, agora o número aumentou para 25%.

Leia também:
Presidente mexicano: ‘Nunca aceitaremos’ que os EUA designem cartéis como terroristas

Quanto à opinião dos entrevistados sobre como estão sendo governados, 54% disseram 100 dias depois: “Muito bem, continue assim”. Aos seis meses, o número caiu 42%. No primeiro relatório, subiu três pontos e, no primeiro ano de governo, a opinião positiva diminuiu 13 pontos percentuais.

Os entrevistados que responderam “Muito mal, assim não chegaremos a lugar nenhum” representaram 7% nos 100 dias e no primeiro ano o número aumentou para 9%.

Quanto às notas que os mexicanos atribuíram ao presidente, nos primeiros 100 dias, 28% lhe atribuíram 10, mas no primeiro ano, apenas 21% mantiveram a qualificação. Em março, 42% deram notas entre 8 e 9 para o governo, mas o número caiu 40% para novembro. Desta forma, a média de 8,0 no início do mandato caiu para 7,1.

Outra questão apontou para o alinhamento ideológico com que López Obrador governa.

51% das pessoas o consideram liberal, enquanto 39% o consideram conservador. 72% o consideram uma pessoa sincera e 21% uma pessoa falsa. 79% acreditam que é um líder, enquanto 15% pensam o contrário. 67% acreditam que ele é capaz de resolver problemas, mas 25% consideram que não são. 73% dizem que ele tem experiência para governar, em contraste 23% dizem que não tem.

A diferença percentual mais significativa foi observada quanto à melhora da liberdade de expressão, 67% acreditam que melhorou e 20% piorou.

Quando perguntados se a imagem que tinham do presidente havia melhorado ou piorado, de 80% que consideravam que havia uma melhora no início de seu governo, o número caiu para 61% neste primeiro ano. E aqueles que consideraram que ela havia piorado nos primeiros 100 dias aumentaram de 13% para 30% no primeiro ano de governo.

47% consideraram que sua família vive melhor com a administração de López Obrador no início da mesma, mas o número subiu apenas 2 pontos no primeiro ano. Enquanto os que disseram estar piores, 12%, nos 100 primeiros, dobraram para 24%.

Outros aspectos, como saúde, educação, emprego, etc. também foram avaliados.

Quanto à melhora ou piora dos serviços públicos de saúde, 45% estavam satisfeitos, enquanto 36% não. Em relação à criação de empregos, 49% sentiram que melhorou e 31 não; e na economia 48% disseram que houve uma melhoria superior a 35% que apresentou queda. A diferença percentual não é maior que 18 pontos.

De acordo com o instituto De Las Heras, um dos objetivos dessa entidade é “fornecer informações confiáveis, honestas e perfeitamente documentadas à sociedade mexicana, sobre a realidade de nosso país”.

TE RECOMENDAMOS