Atriz de ‘Capitão América’ é ​​presa por esfaquear sua mãe

Por EFE
02 de Enero de 2020
Actualizado: 02 de Enero de 2020

A atriz Mollie Fitzgerald, que em 2011 se juntou ao elenco do filme “Capitão América: O Primeiro Vingador”, foi presa na cidade de Olathe, no estado americano de Kansas, acusada de esfaquear sua mãe, segundo o jornal Kansas City Star.

Fitzgerald, 38, que desempenhou um pequeno papel no filme deste super-herói e trabalhou como assistente de direção, foi acusada de assassinato em segundo grau e foi presa depois de receber uma fiança de US$ 500.000.

As autoridades afirmam que a atriz poderia ser responsável pela morte de sua mãe, Patricia “Tee” Fitzgerald, 68 anos, que em 20 de dezembro foi encontrada morta em sua casa em Olathe, nos arredores de Kansas City. (Missouri), juntamente com a atriz, que foi levada para um hospital para ser tratada por ferimentos leves.

Além de ser atriz, a suposta assassina desenvolveu uma carreira como produtora e diretora em diferentes filmes, a maioria de baixo orçamento, incluindo “The Lawful Truth”, lançado em 2014, e “The Creeps” (2017).

Gary Hunziker, irmão da vítima, disse ao Kansas City Star que, quando os eventos ocorreram, a atriz estava imersa no processo de voltar de Houston (Texas) para Kansas City, onde viveu por décadas.

A família cresceu em uma fazenda no nordeste do Missouri, uma casa que a falecida deixou para estudar ciências da saúde na Universidade do Missouri para depois se mudar para Kansas City e depois para o Texas, onde seu marido tinha um escritório de advocacia, explicou o irmão.

Hunziker disse que conhece poucos detalhes da morte de sua irmã, mas ficou “chocado” com a perda e disse que as circunstâncias em que ocorreu são menos importantes.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS