Bebê que levou 14 facadas de sua mãe e depois foi enterrado vivo sobrevive milagrosamente

Tal crueldade é simplesmente inimaginável, mas todos nós definitivamente devemos estar muito atentos para poder agir quando algo assim ocorrer
Por Li Yen
02 de Octubre de 2019
Actualizado: 02 de Octubre de 2019

De forma horrível, um bebê de 7 meses foi esfaqueado e enterrado vivo na Tailândia. Graças a Deus uma mulher que cuidava de uma fazenda próxima ouviu seu choro e ao se deparar com a cena, levou o imediatamente o bebê para um lugar seguro.

Em fevereiro de 2016, uma camponesa chamada Kachit Krongyut levava suas vacas para pastar em sua fazenda no distrito de Wangai, na província de Khon Kaen, Tailândia, quando ouviu algo que parecia um choro. O som vinha de uma área visivelmente revirada de terra.

A princípio, Kachit, de 53 anos, pensou que alguém havia enterrado um pequeno animal. Mas então, para seu horror, ela viu o pé de um bebê que se sobressaía parcialmente do chão. Em uma tentativa desesperada de salvar a criança, ela rapidamente removeu a terra com as mãos, conforme informou o jornal The Mirror UK.

“No começo, pensei que alguém havia enterrado vivo seu animal de estimação vivo, mas depois vi um pé”, disse ela à imprensa local. “Tentei me controlar e pedi ajuda. O bebê tinha sido enterrado de bruços.

Depois de tirar o bebê da cova rasa que tinha cerca de 20 centímetros de profundidade, ela viu que a criança apresentava ferimentos de faca por todo o corpo. Parecia que alguém havia deixado a pobre criancinha ali para morrer.

O menino, agora chamado Aidin, foi imediatamente levado ao hospital de Wangai, onde os médicos constataram que ele tinha 14 cortes de faca pelo corpo e, com base em marcas antigas encontradas no estômago da criança, também determinaram que ele havia sofrido abusos desde o nascimento. Os médicos disseram que a pressão do solo ajudou a impedir que o bebê sangrasse até a morte devido às facadas.

Posteriormente, Pornchai, o marido da camponesa, disse à polícia que viu pegadas no chão, além de trilhas de moto nas proximidades. Isso levou à descoberta da suspeita, uma mãe de 42 anos que foi acusada de tentativa de assassinato e abandono do filho.

O pequeno Aidin se recuperou milagrosamente após três meses de tratamento e, quando estava mais forte, o “bebê milagroso” foi levado ao orfanato Kaen Thong e, não demorou muito, foi adotado por um casal de suecos.

Supachai Pathimchart, do orfanato Kaen Thong onde a criança residia, explicou que “[todas] as verificações de segurança foram realizadas para garantir que Aidin fosse para um bom lar. Estamos muito felizes com o fato de você estar indo para um bom lar e tendo uma vida confortável. Você sobreviveu a uma experiência muito ruim, mas tem muito caráter e está feliz com sua vida.”

“Ele tem muita sorte. Se tivesse demorado um pouco mais para ser encontrado, talvez não tivesse sobrevivido”, disse Pornchai. “Ele se sairá bem na vida, temos certeza.”

Luckily he was found.

تم النشر بواسطة ‏‎Daily Mirror‎‏ في الاثنين، ١٠ أكتوبر ٢٠١٦

Tal crueldade é simplesmente inimaginável, mas todos nós definitivamente devemos estar muito atentos para poder agir quando algo assim ocorrer. O importante é que nosso coração esteja sempre disposto a ajudar as almas inocentes que precisam de nós.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS