Brasil e China lançam ao espaço 6º satélite desenvolvido em conjunto

Por efe
20 de Diciembre de 2019
Actualizado: 20 de Diciembre de 2019

Pequim, 20 dez – O sexto satélite desenvolvido de forma conjunta por Brasil e China foi lançado da base de Taiyuan, no norte do país asiático, ao espaço nesta sexta-feira, informou a imprensa chinesa.

Montado no Brasil, o Cbers-4A foi levado pelo foguete chinês Longa Marcha-4B e substituirá o Cbers-4, lançado em 2014, para melhorar a resolução dos sensores de dados remotos, segundo a Administração Nacional do Espaço da China (CNSA).

O chamado Programa Cbers (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) é um projeto conjunto iniciado há mais de duas décadas que permitiu que ambos os países dominassem a tecnologia de vigilância remota com câmeras e sensores para a observação da Terra.

O programa, que oferece gratuitamente imagens de satélite a diferentes países da América Latina e da África, é considerado o maior programa de cooperação espacial entre países em desenvolvimento.

Através do Cbers, Brasil e China desenvolveram e lançaram com sucesso até agora quatro satélites (Cbers-1, Cbers-2, Cbers-2B e Cbers-4), aos quais pretendiam acrescentar o Cbers-3, que caiu no final de 2013 pouco depois de ter sido lançado e sem ter atingido a a órbita prevista.

O novo dispositivo foi projetado para fotografar, rastrear e registrar atividades agrícolas, desmatamento de florestas, mudanças na vegetação, recursos hídricos e expansão urbana com uma resolução muito mais alta do que os satélites anteriores.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as tecnologias do satélite sino-brasileiro são similares às dos programas de monitoramento remoto mais utilizados no mundo, como Landsat (Estados Unidos), Resourcesat (Índia) e Copernicus (União Europeia).

O Brasil usa as imagens de seus satélites para programas de monitoramento do desmatamento na Amazônia e para detectar incêndios florestais, entre outras utilidades.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS