Cão que morreu após resgatar sete pessoas de escombros de terremoto é lembrado como herói

Por Equipe EMG Inspired
08 de Enero de 2020
Actualizado: 09 de Enero de 2020

Dayko era um labrador de 4 anos treinado em resgate de emergência e trabalhou no Corpo de Bombeiros de Ibara no Equador por três anos e meio. O cão foi descrito por seus co-socorristas como um companheiro trabalhador, amoroso e leal.

Em 16 de abril de 2016, um terrível terremoto sacudiu o Equador, derrubando prédios e rasgando estradas. Não se importando com sua própria vida, o cão procurou por sobreviventes, cavando os escombros, tentando salvar o maior número de vidas possível. Sua incrível história de coragem destacou sua grande dedicação e honestidade, uma característica difícil de encontrar.

O terremoto de magnitude 7,8 matou pelo menos 668 pessoas, feriu milhares e enterrou muitas pessoas sob muitas pilhas de entulho. Dayko cumpriu seu dever – incansavelmente procurando e tentando resgatar tantas pessoas quanto possível continuamente por vários dias. Cheio de amor e devoção à humanidade, Dayko salvou a vida de sete pessoas.

De repente, Dayko desmaiou de exaustão severa enquanto procurava por mais sobreviventes. Como seus colegas relatam, ele de repente entrou em colapso, sofrendo um golpe de calor. Os veterinários fizeram o possível para salvá-lo, mas não tiveram sucesso. Este gentil e belo Labrador branco perdeu a própria vida no processo de salvar a vida de sete pessoas enterradas nos escombros.

Equipes de resgate trabalham para retirar sobreviventes presos em um prédio desabado após um grande terremoto na cidade de Manta, no início de 17 de abril de 2016 (© Getty Images | ARIEL OCHOA)

Dayko não deu atenção aos seus próprios sinais de exaustão e continuou com o trabalho, mas com essa dedicação, ele pagou por isso com sua vida.

De acordo com a publicação do corpo de bombeiros no Facebook, a morte de Dayko foi causada por um infarto do miocárdio coronariano maciço e insuficiência respiratória aguda, e ele perdeu a vida no processo.

Seus colegas do corpo de bombeiros acham difícil aceitar a perda de seu querido amigo. Ainda de luto pela morte de seu colega, o Corpo de Bombeiros de Ibara escreveu em sua página no Facebook: “Lamentamos informar que hoje o [corpo de bombeiros] está de luto porque [perdemos] Dayko que participou do trabalho de busca em Pedernales”.

“Esse amigo de quatro patas deu sua vida no cumprimento do dever. Obrigado Dayko por seus esforços heróicos em Pedernales e em várias emergências em que você esteve presente”, acrescentou o corpo de bombeiros. “Você manteve o nome da unidade K9”.

Segundo a equipe, Dayko havia desenvolvido um vínculo muito forte com Alex Yela, seu treinador.

“Uma vez ele me arrastou até um lago porque amava a água”, disse o bombeiro Alex Yela, segundo o Express.

“Felizmente, eu tinha uma bola comigo para tirá-lo de lá, porque não havia poder neste mundo que pudesse tirá-lo de um mergulho.”

Dayko também era conhecido por seu carisma inacreditável e bom olfato.

“Dayko cativou a todos nós com seu olhar terno e sua natureza amigável”, escreveu o Corpo de Bombeiros de Ibara.

Devido às suas qualidades notáveis, ele foi capaz de detectar muitas pessoas presas sob os escombros e salvá-las.

Dayko recebeu um enterro adequado, e a equipe de resgate agradeceu e deu uma despedida final ao colega altruísta que perdeu a vida no cumprimento do dever.

O heróico Dayko será lembrado por sua grande coragem e dedicação ao seu trabalho. As pessoas salvas por ele se lembrarão para sempre e serão gratas a esse cão muito corajoso e altruísta.

Assista ao vídeo de Dayko:

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS