Chanel, Victoria’s Secret e Louis Vuitton: a “vida de rico” da filha de Hugo Chávez em Nova Iorque

Por Renato Pernambucano
15 de Octubre de 2019 Actualizado: 15 de Octubre de 2019

Uma conta bancária usada por María Gabriela Chávez, filha do ex-presidente Hugo Chávez, durante sua estadia em Nova Iorque como representante diplomática da ONU, revelou o estilo de vida suntuoso que ela teve na Big Apple.

Segundo os movimentos registrados no cartão de débito da conta, a funcionária Chavista gastou dezenas de milhares de dólares em lojas de luxo como Chanel, Louis Vuitton e Victoria’s Secret, o que contraria muito o estilo de vida austero promovido pelo socialismo na Venezuela.

Chávez se estabeleceu em Nova Iorque em 2014, depois de ser nomeada pelo atual ditador, Nicolás Maduro, como embaixadora alternativa nas Nações Unidas para “transmitir a mensagem do comandante [Hugo Chávez]”, segundo um relatório da Infobae.

A conta bancária aberta naquele momento no Mercantil Commercebank de Miami, alcançou vários milhões de dólares em depósitos e transferências de terceiros, de acordo com documentos consultados pelo First Report, e foi cancelada por suspeita de lavagem de dinheiro.

O presidente venezuelano Nicolás Maduro (C) ouve o hino nacional com María Gabriela Chávez (esquerda), filha do falecido Hugo Chávez e Diosdado Cabello (direita) durante a cerimônia de inauguração presidencial em Caracas, em 19 de abril de 2013. ( JUAN BARRETO / AFP / Getty Images)

Foi registrado em nome de Roberto Leyba, sócio e advogado de Chávez, e serviu ao objetivo de “cobrir despesas pessoais”.

Os hábitos suntuosos de consumo do casal estão detalhados em um registro de compras feitas em Manhattan, incluído em um relatório de “atividades suspeitas” da conta, das quais o proprietário não explicou adequadamente a origem dos recursos. O escrutínio faz parte de uma investigação realizada sobre María Gabriela por ser uma pessoa exposta politicamente (PEP), uma designação que inclui indivíduos que exercem ou ocuparam posições políticas no exterior.

Segundo dados obtidos pelo Diario Las Américas, o casal venezuelano não se privou de caprichos e levou uma vida de ricos.

Entre suas lojas preferidas, de acordo com registros bancários, estavam a Forever 21, com duas compras de quase US $ 2.300; A loja de lingerie Victoria’s Secret, que Chávez visitou três vezes em cinco dias, gastando mais de US $ 1.000; e a loja de cosméticos Times Square MAC, onde desembolsou mais de US $ 1600.

As compras também foram registradas na Louis Vuitton, Hugo Boss, Kenneth Cole, Michael Kors e Luxottica Optics, por um valor total de aproximadamente US $ 3400. As despesas incluem até a Zoomies, uma loja conhecida como a primeira “barra de biscoitos de cachorro” em Nova Iorque.

O presidente venezuelano Hugo Chávez (c), ladeado por suas filhas Virginia (esquerda) e Maria Gabriela (direita), sorri depois de ler um documento no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, em 15 de julho de 2011. ( JUAN BARRETO / AFP / Getty Images)

Na Chanel, a conta registrou pagamentos de US$ 9.000 durante um período de três dias, entre 23 e 26 de outubro de 2015, em uma filial localizada no centro de Manhattan, a uma curta distância da sede da ONU, onde são oferecidos perfumes, relógios, carteiras, sapatos, jóias de grife e todos os tipos de acessórios.

A filha de Chávez e o namorado viveram “o sonho americano”, enquanto na Venezuela ocorre uma das maiores taxas de inflação do mundo, acompanhada pela escassez de todos os tipos de produtos básicos.

Por fim, a conta bancária foi encerrada em 2016 devido a “inconsistências” entre a receita declarada pela Leyba e as transações de terceiros registradas que surgiram após uma investigação detalhada dos reguladores bancários dos EUA, onde se descobriu que as transferências faziam parte de um suposto esquema de corrupção na compra de balsas pela companhia de navegação Paraguaná.

Em suas redes sociais como Twitter e Instagram, Chávez, que segundo fontes diplomáticas raramente cumpria suas funções na ONU, evita a questão de acusações e as “heranças fraudulentas” que recebeu de seu pai e não responde às centenas de pessoas que criticam suas publicações em homenagem a Hugo Chávez e à revolução socialista.

Mesmo assim, de acordo com a ex-general venezuelana Luisa Ortega Díaz, a primogênita do ex-líder é o centro de duas investigações de lavagem de dinheiro e “os Estados Unidos estão no caminho certo”.

TE RECOMENDAMOS