Comitê de gênero estava inoperante e foi extinto por decreto, explica Damares

Decreto publicado em abril pelo governo Bolsonaro determinou o fim dos comitês inoperantes
Por Michael Caceres, Gospel Prime
22 de Agosto de 2019
Actualizado: 22 de Agosto de 2019

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, não foi responsável por extinguir comitês de gênero e diversidade sexual, como noticiou grande parte da imprensa.

Segundo explicou a ministra através do Twitter, sua pasta cumpriu o que foi decidido por decreto publicado em abril pelo governo Bolsonaro, que determinava o fim dos comitês inoperantes.

Damares Alves explicou que os seis comitês extintos no ministério estavam inoperantes desde o ano passado, incluindo o de Gênero e do Diversidade e Inclusão.

“Matéria feita para confundir o leitor. Não extingui nada. Estavam todos inoperantes, não tinham qualquer atividade desde o ano passado”, explicou.

A ministra também usou o Facebook para lembrar que um decreto estabeleceu o fim dos comitês e comissões que não estavam em funcionamento.

“Estes comitês foram extintos por decreto e não por mim. Há alguns meses um decreto estabeleceu que comitês e comissões que não estavam em funcionamento deveriam ser extintos. Os Comitês extintos em nosso ministério estavam parados desde o ano passado”, disse.

Ela também afirma que apesar dos comitês terem sido extintos, o ministério ainda trabalha pelas causas promovidas pelos colegiados.

“Mas esta matéria [revista Época] não fala que estamos fortalecendo as Diretorias de combate a violência contra mulheres, contra comunidade LGBTI e não fala do nosso trabalho em busca da inclusão em todas as secretarias”, destacou.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS