Democratas querem cortar ajuda dos EUA para Israel e entregá-la a Gaza

Presidenciáveis querem pressionar Israel por Estado palestino
01 de Noviembre de 2019 9:01 AM Actualizado: 01 de Noviembre de 2019 9:01 AM

Por Gospel Prime

O candidato à presidência pelo Partido Democrata, Bernie Sanders, declarou que, se for eleito, vai retirar os 3,8 bilhões que são enviados pelos EUA para Israel para financiamento militar.

O valor, então, seria enviado a Gaza para ajuda humanitária. “Minha solução é dizer a Israel: você recebe US$ 3,8 bilhões por ano, se quiser ajuda militar, terá que mudar fundamentalmente seu relacionamento com o povo de Gaza. Na verdade, acho justo dizer que um pouco disso deve agora ser direcionado à ajuda humanitária”, disse.

O último pacote de ajuda foi aprovado pelo governo Obama e concorda em conceder a Israel US$ 3,8 bilhões em ajuda militar a Israel por 10 anos.

Leia também:
Trump diz que Fed é o principal problema da economia dos Estados Unidos

“É muito dinheiro e não podemos dar carta branca ao governo de Israel, nem a nenhum governo. Temos o direito de exigir respeito pelos direitos humanos e pela democracia”, afirmou Sanders em uma conferência nacional da J Street.

Mas ele não foi o único a falar sobre essa verba, a senadora de Massachusetts Elizabeth Warren apoiou a alavancagem da ajuda americana para pressionar Israel.

Na semana passada, ela também disse que cortar a ajuda a Israel está “em cima da mesa”, segundo informações da CBN News.

O ex-vice-presidente Joel Biden, porém, disse que reter a ajuda do Estado judeu é contraproducente.

“Os israelenses acordam todas as manhãs diante de uma ameaça existencial”, disse ele. “É por isso que sempre temos que ter certeza de que Israel deve se defender.”

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.