Dois mortos e seis feridos em tiroteio durante gravação de videoclipe nos EUA

Por EFE
01 de Enero de 2020
Actualizado: 02 de Enero de 2020

Duas pessoas foram mortas e outras seis ficaram feridas em um tiroteio que ocorreu durante a gravação de um videoclipe na noite de sexta-feira em um estacionamento em Houston (Texas, EUA), informaram as autoridades no sábado, que detalham que a maioria das vítimas são jovens hispânicos.

Entre os feridos estão alguns “em uma situação muito séria”, disse Ed Gonzalez, chefe da polícia do condado de Harris em uma aparição diante de jornalistas.

“É uma situação muito séria, é uma área residencial e houve muitos disparos. Temos uma ampla cena de crime que abrange vários blocos ”, relatou González.

Por enquanto, no entanto, ele não ofereceu detalhes sobre a possível motivação e os autores do tiroteio, já que é uma investigação em andamento.

“Havia outros veículos estacionados lá e achamos que eles estavam filmando algum tipo de videoclipe quando, de repente, foram basicamente emboscados, acreditamos que indivíduos em carros e a pé atiraram no estacionamento”, disse ele.

Em agosto passado, 22 pessoas foram mortas em um shopping center na cidade fronteiriça de El Paso, também no Texas, por Patrick Crusius, 21 anos, que confessou à polícia quando foi preso que seu objetivo era matar mexicanos. Das 22 pessoas que ele matou, oito eram do outro lado da fronteira.

Crusius dirigiu quase dez horas, de Allen a El Paso, para cometer o massacre e depois publicou um manifesto na Internet, no qual ele afirmava que o ataque era uma “resposta à invasão hispânica do Texas”.

************

Assista também: 

Revelado o segredo do negócio bilionário da China

 

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS