Escândalos e censura rígida afetam indústria chinesa de cinema e televisão

"A maioria dos dramas apresentados na televisão durante o horário nobre são dramas vermelhos, onde as pessoas elogiam o exército de libertação”
Por Olivia Li, Epoch Times
21 de Diciembre de 2019
Actualizado: 21 de Diciembre de 2019

Fonte da indústria de televisão chinesa de codinome Jiang disse à Radio Free Asia em 16 de dezembro que o escândalo de Fan Bingbing teve grande impacto nas pessoas que trabalham no setor.

Fan, uma das atrizes mais bem pagas da China, desapareceu subitamente da vista do público em meados de 2018, quando foi cusada de sonegação de impostos. Mais tarde, soube-se que as autoridades chinesas a prenderam e investigaram em um local secreto. Fan finalmente ofereceu um pedido de desculpas público e concordou em pagar multas e impostos no total de US$ 130 milhões.

“Muitos na indústria [da televisão] estão querendo mudar de carreira. Existem duas razões para isso. A primeira é a repressão do fluxo de capital e lavagem de dinheiro na indústria do entretenimento após o escândalo de Fan Bingbing. Atualmente, há menos pessoas dispostas a investir na produção de filmes”, afirmou Jiang.

Leia também:
Hackers da Rússia, Irã, China e Coreia do Norte estão por trás dos ataques cibernéticos mais críticos da Espanha

“A segunda é a censura recente e rígida de filmes e dramas de televisão. Como se pode ver, a maioria dos dramas apresentados na televisão durante o horário nobre são dramas vermelhos, onde as pessoas elogiam o exército de libertação”, explicou.

Quando uma estrela de cinema chinesa popular lamentou em uma entrevista na televisão em agosto que ela não recebia nenhum papel havia oito meses, o público percebeu subitamente que muitos de seus ídolos de cinema estavam na mesma situação e não lhes havia sido oferecido nenhum papel nos filmes recém-lançados.

Segundo dados públicos, dos 9.481 atores e atrizes da China continental, Hong Kong, Macau e Taiwan, cerca de 65% não atuaram em nenhum filme ou drama televisivo que estreou este ano.

Os dados gerais da produção dramática revelaram o mesmo padrão. Os números da Administração Estatal de Rádio, Cinema e Televisão da China indicaram que, nos três primeiros trimestres de 2019, o número de dramas televisivos em produção diminuiu 27% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Além disso, mais de 3.228 empresas de cinema e televisão ou indústrias afins desapareceram, em comparação com 1.946 em 2018. Seu status atual é mostrado como cancelado, revogado, liquidado ou suspenso.

Jiang também revelou que, atualmente em Hengdian, até mesmo as lojas que alugam equipamentos para fazer filmes estão perdendo dinheiro, mas lutam e persistem na esperança de que as coisas melhorem no futuro.

TE RECOMENDAMOS