EUA realocarão tropas no Iraque, mas descartam retirada

Por efe
06 de Enero de 2020
Actualizado: 06 de Enero de 2020

Washington, 6 jan – Um comandante da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos explicou nesta segunda-feira que as tropas americanas no Iraque serão realocadas “no decorrer dos próximos dias e semanas”, anúncio feito após o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, detalhar que não se tratava de uma retirada.

“Em devida deferência à soberania do Iraque, e conforme solicitado pelo Parlamento e pelo primeiro-ministro iraquiano, a coalizão internacional realocará forças no decorrer dos próximos dias e semanas em preparação para um movimento posterior”, disse o general de brigada William H. Seely III, comandante do chamado Grupo de Trabalho no Iraque, em carta ao Ministério da Defesa iraquiano.

A carta explica que para a realização da tarefa, as forças da coalizão aumentarão o uso de helicópteros sobre e nos arredores da Zona Verde de Bagdá, onde estão localizadas embaixadas e instituições do governo.

Em meio às versões de alguns jornais que cogitaram um anúncio de retirada das tropas, o secretário de Defesa americano descartou a possibilidade.

“Não há nenhuma decisão de deixar o Iraque. É incoerente com relação ao ponto em que estamos agora”, declarou Esper em um pronunciamento a jornalistas no Pentágono que não estava agendado.

O chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, Mark Milley, afirmou aos repórteres que a carta “é um rascunho”: “Foi um erro, não deveria ter sido publicada”, argumentou.

A tensão entre Teerã e Washington aumentou nos últimos dias por causa da morte do general Qasem Soleimani, comandante da divisão de elite da Guarda Revolucionária do Irã.

O Irã garantiu que se vingará dos Estados Unidos pela morte de Soleimani. Consequentemente, o governo dos EUA pediu para que os cidadãos do país deixem o Iraque imediatamente.

No domingo passado foi divulgado que centenas de soldados americanos começaram um dia antes uma viagem a uma base militar no Kuwait, de onde servirão como reforços para as forças mobilizadas no Oriente Médio.

A previsão é que até 3.500 soldados viajem nos próximos dias para o Kuwait, um dos quartéis-generais do Comando Central das Forças Armadas dos EUA (CENTCOM), de onde são coordenadas as operações militares no Iraque e no Afeganistão.

Na semana passada, o governo dos EUA enviou 750 soldados para o Oriente Médio em resposta ao ataque à embaixada dos EUA em Bagdá por apoiadores de milícias xiitas.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS