Guarda Revolucionária diz que mísseis foram só demonstração de poder do Irã

Por efe
09 de Enero de 2020
Actualizado: 09 de Enero de 2020

Teerã, 9 jan – O subcomandante da Guarda Revolucionária do Irã, Ali Fadavi, afirmou nesta quinta-feira que o ataque a mísseis contra uma base militar no Iraque onde havia tropas dos Estados Unidos foi apenas uma demonstração da capacidade defensiva iraniana.

Em discurso na cidade de Isfahan, no centro do país, Fadavi destacou que o bombardeio contra a base de Al Asad é “uma das manifestações inigualáveis do poderio e da capacidade do Irã no campo da defesa militar”.

“Os EUA sempre cometeram atrocidades e crimes na região e no mundo, mas nunca conseguiram a vitória diante do Irã islâmico”, comentou, segundo a agência de notícias “Tasnim”.

De acordo com o subcomandante da Guarda Revolucionária – considerada um grupo terrorista pelo governo americano desde abril do ano passado -, “nenhum país do mundo realizou uma ação semelhante contra os Estados Unidos”.

Fadavi explicou que as dezenas de mísseis disparados sobrevoaram duas outras bases militares e os americanos, “apesar de estarem em alerta, não puderam fazer nada”.

Imagens de satélite, registradas pela empresa americana Planet e divulgadas na quarta-feira, mostram danos significativos em edifícios da base aérea que podem ser hangares e locais para o armazenamento de equipamentos.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na quarta-feira que não houve “fatalidades” no ataque e que os danos materiais foram “mínimos”. Esse ataque foi uma resposta do Irã ao assassinato do general Qasem Soleiman em Bagdá na última sexta-feira.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS