Irã poderá usar Venezuela para vingar Soleimani e atacar EUA

Por SABRINA MARTÍN, PANAMPOST
05 de Enero de 2020
Actualizado: 05 de Enero de 2020

Depois de saber que os Estados Unidos mataram o poderoso general iraniano Qasem Soleimani com um ataque de drone, a América Latina vive horas de grande tensão, principalmente por causa das implicações que poderiam existir na região oeste na presença de terroristas e iranianos em solo venezuelano.

O Irã e o Hezbollah estão na América Latina desde praticamente o início da revolução iraniana; mas em 2005 eles se uniram à aliança bolivariana (ALBA) e, à medida que a ALBA crescia, a presença do Irã e do Hezbollah aumentou. Com o assassinato de Soleimani, há uma forte ameaça de que o Irã decida usar a Venezuela para atacar os Estados Unidos.

“Não há dúvida de que a grande nação do Irã e outras nações livres da região se vingarão por esse crime horrível do criminoso Estados Unidos”, prometeu o presidente iraniano Hasan Rohani.

Joseph Humire, especialista em segurança hemisférica e diretor executivo do Centro para uma Sociedade Livre e Segura com sede em Washington DC, disse ao PanAm Post que se o Irã “decidir usar a Venezuela para atacar os Estados Unidos, Maduro terá a obrigação de seguí-lo, porque com todos os favores e apoio que o Irã deu a Maduro, talvez seja a hora de retribuí-lo».

Humire explica que Soleimani era uma pessoa muito importante na hierarquia iraniana, então ele disse que o Irã se vingaria e tentaria pegar seus inimigos de surpresa.

Ele ressaltou que a Pasdarán (Guarda Revolucionária Islâmica) possui redes em pelo menos 16 países da América Latina, mas acrescentou que o planejamento pode surgir “na tríplice fronteira com a Bolívia ou na fronteira venezuelana com a Colômbia, porque são as áreas mais fortes deles. É quase certo que de lá eles tenham uma pegada de apoio logístico”, afirmou.

«Penso que neste momento Nicolás Maduro, Tareck El Aissami e todos os que conhecem bem as operações de Soleimani estão preocupados, à espera de saber como reagir. Maduro sabe que parte dos interesses que ele tem na Venezuela são em resposta aos interesses do Irã. Se o Irã decidir usar a Venezuela para atacar os Estados Unidos, Maduro tem a obrigação de apoiar”, afirmou.

Soleimani administrou empresas na Venezuela

Humire, que se concentrou em investigar de perto a situação, explicou que o Irã tem fortes operações na Venezuela, principalmente por meio de empresas de cobertura comercial que servem não apenas para lavar dinheiro, mas também para mobilizar operadores do Hezbollah.

«Uma das primeiras coisas que Pasdaran se preocupa para ter uma presença global é construir empresas de cobertura comercial. Existem centenas de empresas iranianas na Venezuela, nem todas estão envolvidas nessas atividades, mas uma grande porcentagem é e muitas foram controladas por Soleimani”, disse ele.

«As empresas de cobertura que existem na Venezuela não são necessariamente dedicadas apenas à lavagem de dinheiro, mas principalmente para evitar sanções; é uma plataforma de cobertura para poder mover suas operadoras dentro e fora da América Latina”, afirmou.

Humire se recusou a mencionar o nome de uma das empresas “porque é uma questão delicada”, mas revelou ao PanAm Post que existe uma que funciona especificamente entre a Colômbia e a Venezuela, ligada a Álex Saab, chefe de Nicolás Maduro.

Artigo publicado originalmente no PanamPost.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS