Jorge Rodríguez, Rafael Correa e Evo Morales ‘não trazem benefício algum para a Argentina’, diz assessor de Trump

Por Anastasia Gubin, Epoch Times
11 de Diciembre de 2019
Actualizado: 11 de Diciembre de 2019

Mauricio Claver-Carone, um dos enviados especiais de Donald Trump para a posse do novo presidente da argentino, Alberto Fernández, afirmou que Jorge Rodríguez, Rafael Correa e Evo Morales “não trazem qualquer benefício para a Argentina”.

O presidente Donald J. Trump designou em 6 de dezembro uma delegação presidencial para a posse do presidente Fernández liderada pelo secretário de Saúde e Serviços Humanos, Alex M. Azar II, na qual incluiu Claver-Carone , que é assistente adjunto do presidente, diretor principal para Assuntos do Hemisfério Ocidental e membro do Conselho de Segurança Nacional.

“Jorge Rodríguez e Maduro não trazem nenhum benefício para a Argentina, Evo Morales não traz nenhum benefício para a Argentina. Rafael Correa não traz nenhum benefício para a Argentina. É exatamente o contrário. Eles destroem benefícios para a Argentina, e desviam o foco de que a Argentina deve ser a prioridade, o bem-estar do país, e como conseguir trabalhar bilateralmente conosco e com outros aliados”, disse o assessor de Trump ao jornal Clarín.

Leia também:
Novo presidente argentino quer “fraternidade” com Brasil e pede agenda comum

Claver-Carone foi embora antes do planejado sem assistir na terça-feira à cerimônia de transferência de comando no Congresso nem às entrevistas com o presidente e seu ministro das Relações Exteriores Felipe Solá , devido à presença de Rodriguez, ministro da Comunicação da ditadura de Nicolás Maduro.

O assessor americano salientou que o governo de Fernández, possivelmente “mal aconselhado”, não informou a Washington sobre a presença de funcionários do regime de Maduro cujos nomes constam no esquema de sanções internacionais “que são as questões mais sensíveis” da aliança entre Estados Unidos e Argentina.

“Infelizmente, devido a alguns convites e a algumas surpresas que tivemos na chegada , decidi não participar então vou embora mais cedo. Não comparecerei às reuniões de trabalho que estavam agendadas para a parte da manhã”, disse ao Clarín.

O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos sancionou Jorge Jesus Rodríguez Gómez, membro do alto escalão da ditadura socialista da Venezuela, por ajudar Nicolás Maduro “a permanecer no poder e solidificar seu regime autoritário”. Rodríguez foi nomeado para o cargo de Ministro do Poder Popular para a Comunicação e a Informação no final de 2017. Antes disso, em 2008, foi eleito prefeito de Caracas, no Distrito Libertador. Além disso, em 8 de janeiro de 2007, Jorge Rodríguez assumiu o cargo de vice-presidente da Venezuela durante o mandato de Hugo Chávez.

Rodriguez figura com proibição de entrada na Argentina e outros países, destaca a reportagem do Clarín , e Correa tem um mandado de prisão preventiva em seu país.

A isso se somam os supostos planos de Fernández de obter asilo na Argentina para o boliviano Evo Morales, que agora está em Cuba.

Claver-Carone também disse que “a mensagem que transmiti em seu tempo ao presidente Fernández ( quando ele se reuniu com ele no México) sendo eleito o presidente no México, é que nós temos a melhor intenção de ter um relacionamento produtivo para ajudar a Argentina a fazer progressos e que o país tenha sucesso. No entanto, essas distrações não são de nenhum proveito para a Argentina”.

Isso “não se faz com os amigos”, acrescentou.

Por outro lado, o assistente salientou que os Estados Unidos querem dar seu total apoio para a democracia na Argentina.

“Queremos ajudar a Argentina a se concentrar em seus problemas domésticos, em seus problemas econômicos, para que possa ter sucesso. Uma Argentina democrática, estável , e próspera, é do interesse de todos nós no hemisfério ocidental”.

Antes de sair do país sul-americano, Claver-Carone chegou a se encontrar pela manhã com Elisa Trotta Gamus , representante de Juan Guaidó na Argentina, reconhecida como legítima embaixadora da Venezuela pelo presidente cessante da Argentina, Mauricio Macri, mas considerada “ilegal ” pela equipe de Fernández.

Por sua vez, os outros membros da delegação designados por Trump e liderados pelo Ministro Azar participaram da inauguração, assistiram à posse, segundo informou a Embaixada dos Estados Unidos na Argentina

Eram estes: o embaixador dos Estados Unidos na República Argentina, Edward C. Prado; a assistente do presidente e vice-chefe de Gabinete, Emma K. Doyle; juntamente com o Secretário Assistente Interino e o membro do Escritório de Assuntos do Hemisfério Ocidental no Departamento de Estado, Michael G. Kozak.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS