Justiça revoga mandado de prisão contra Cristina por acordo com o Irã

Por efe
24 de Diciembre de 2019
Actualizado: 24 de Diciembre de 2019

Buenos Aires, 23 dez – A Justiça da Argentina revogou nesta segunda-feira um mandado de prisão preventiva expedido contra a ex-presidente e atual vice-presidente do país, Cristina Kirchner.

O Tribunal Oral Criminal Federal de Buenos Aires decidiu tornar sem efeito o mandado expedido pelo juiz Claudio Bonadio, que investiga a assinatura de um memorando de entendimento entre o governo de Cristina, então presidente da Argentina, e o Irã.

O acordo é investigado após denúncias de que ele seria só um pretexto para encobrir a participação de iranianos no atentado contra a sede da Associação Mutual Israelita Argentina (Amia) em 1994. O ataque deixou 85 mortos e segue impune.

O pacto, declarado ilegal na Argentina e não ratificado no Irã, pretendia abrir uma investigação conjunta do ataque. A autoria do atentado é atribuída ao grupo xiita libanês Hezbollah e a ex-funcionários do alto escalão do governo iraniano.

Apesar de o mandado de prisão ter sido expedido a dois anos, ele nunca foi cumprido. Eleita senadora, Cristina tinha foro privilegiado. Para detê-la, era necessário que o Senado aprovasse o pedido, o que nunca ocorreu.

As investigações começaram com o promotor Alberto Nisman, que foi encontrado morto no apartamento em que vivia pouco depois de denunciar Cristina de tentar encobrir a participação de iranianos no atentado.

A morte de Nisman também não foi esclarecida e é um assunto que gera grande polêmica no país.

Cristina ainda enfrenta vários processos judiciais e mandados de prisão preventiva. Em um deles, que ficou conhecido como “Cadernos das Propinas, ela é acusada de corrupção. A ex-presidente se diz inocente e vítima de uma perseguição da Justiça.

Nesta semana, a Justiça da Argentina também revogou três mandados de prisão contra três ex-funcionários dos governos de Cristina que estavam presos por corrupção por envolvimento no caso dos “Cadernos das Propinas”.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS