Lula tem pena aumentada em 2ª instância para 17 anos em caso de sítio

Por EFE
27 de Noviembre de 2019 7:30 PM Actualizado: 27 de Noviembre de 2019 7:30 PM

Porto Alegre, 27 nov – Por unanimidade, os três integrantes da Oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) condenaram nesta quarta-feira em segunda instância o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por corrupção e lavagem de dinheiro no processo do sítio de Atibaia (SP) e ampliaram a pena para 17 anos, um mês e 10 dias de prisão em regime fechado.

A sentença anterior, determinada em primeira instância, tinha sido de 12 anos e 11 meses de prisão. Devido à recente mudança de entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a prisão de condenados em segunda instância, o ex-presidente vai aguardar em liberdade enquanto puder continuar a recorrer até o trânsito em julgado.

Os desembargadores do TRF-4, João Pedro Gebran (relator), Leandro Paulsen e Eduardo Thompson Flores Luz concluíram que ficou comprovado que Lula se beneficiou de obras de R$ 1 milhão no sítio frequentado por ele em Atibaia e que foram feitas pelas construtoras Odebrecht e OAS em troca de favorecimento em contratos com a Petrobras.

No início do julgamento, realizado em Porto Alegre, a defesa do ex-presidente havia pedido que a sentença em primeira instância contra Lula neste caso fosse anulada e que ele fosse inocentado, mas o tribunal foi unânime em votar contra essa apelação.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.