Mídia ignora e esquerda comemora espancamento de Karol Eller

O movimento LGBT não se importa com os gays, só quando eles são subservientes a sua narrativa política. Assim como acontece com os negros em relação ao movimento negro
Por Luciano Oliveira, Senso Incomum
22 de Diciembre de 2019 3:32 PM Actualizado: 22 de Diciembre de 2019 3:32 PM

Para não dizer que a mídia inteira ignorou o fato, alguns grandes grupos noticiaram com o intuito de prejudicar o presidente Bolsonaro. Ele é o propagador da homofobia, como disse Debora Diniz, colunista do El País e Marie Claire:

Karol Eller foi violentada. Surrada e desfigurada. Sofreu um ataque homofóbico enquanto passeava com a namorada. É o horror da homofobia que ignora biografias políticas. A homofobia se anima quando o presidente diz “preferir filho morto a filho gay”.

Leia também:
Os últimos dias da esquerda

Veja o que disse Davi Miranda, parceiro do Verdevaldo:

A cantora Zélia Duncan:

O movimento LGBT não se importa com os gays, só quando eles são subservientes a sua narrativa política. Assim como acontece com os negros em relação ao movimento negro.

Não vemos uma exigência para o possível homofóbico ser preso e julgado perante a lei, mas sim um brado de vitória porque um gay que votou em Bolsonaro foi quase morto.

Luciano Oliveira é formado em filosofia. Ministra cursos e palestras nas áreas de filosofia, teologia e literatura, participa dos podcasts OliverTalk e Chá Com A Gente. Twitter: @Oliver_talk

O conteúdo desta matéria é de responsabilidade do autor e não representa necessariamente a opinião do Epoch Times

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.