Ministro divulga áudio em que Morales supostamente incita violência

Por Agência Brasil
20 de Noviembre de 2019 7:37 PM Actualizado: 20 de Noviembre de 2019 7:37 PM

O ministro do governo interino da Bolívia, Arturo Murillo, divulgou hoje (20) um áudio que atribuiu a Evo Morales no qual ele, supostamente, dá instruções para que seus apoiadores sigam com bloqueios nas estradas do país para impedir a distribuição de alimentos e combustíveis. O ministro afirmou que entrará com uma representação internacional contra Morales por crimes contra a humanidade.

No material apresentado, Morales, que está asilado no México, estaria orientando Faustino Yucra Yacri – que segundo o ministro tem ligações com o narcotráfico – a manter o cerco e o bloqueio de estradas, e derrotar o “golpe de Estado racista e fascista”

“Irmãos, não deixem que entre comida nas cidades, vamos fazer um cerco às cidades… Agora estamos vivendo na ditadura, esta é a ditadura. Alguns não entendem (o que é a ditadura), mas agora as pessoas vão ver o que é viver a ditadura com o golpe de Estado. Estou pensando, e quero que saibam que, se a Assembleia (Legislativa) amanhã ou depois rejeitar a minha renúncia, tentarei voltar, irmão, mesmo que me prendam, lutaremos muito contra os racistas e fascistas”, diz a gravação que Murillo atribuiu a Evo Morales.

O ministro afirmou que apresentará uma denúncia contra Morales, mas não precisou a qual organismo internacional pretende recorrer. “Evo Morales ordena que não entre comida nas cidades, isso é um crime contra a humanidade. Não pode ser assim, os bolivianos acreditaram nele, 70% dos bolivianos votaram nele e hoje em dia [ele] ordena que matem de fome o seu povo”, disse.

Explosão na YPFB

Murillo também comentou um ataque realizado ontem (19) à empresa pública de petróleo YPFB. Um comboio de caminhões foi atacado quando deixava a planta de gás da empresa rumo à capital La Paz. O objetivo era evitar o abastecimento na capital. Grupos de manifestantes também dinamitaram os muros da empresa, atearam fogo a veículos e tentaram invadir o local.

De acordo com o ministro, o plano era explodir toda a planta da empresa YPFB. Segundo ele, a Polícia e as Forças Armadas evitaram uma tragédia maior.

“Este é o Evo Morales. Enquanto as pessoas se matam nas estradas e se matam entre si, ele está ordenando que não entre comida e que sufoquem as cidades. Não, senhores. Não vamos permitir isso. Entraremos com uma denúncia. Pedimos a Don Evo Morales que pare de incitar”, disse o ministro.

Ainda não há informações sobre perícia do conteúdo de áudio divulgado.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.