Ministro diz que universidades são dominadas pela esquerda

Abraham Weintraub se comparou à “pedra que derrubou Golias”
24 de Noviembre de 2019
Actualizado: 24 de Noviembre de 2019

Por Gospel Prime

O ministro Abraham Weintraub concedeu uma entrevista ao podcast do jornal Gazeta do Povo, respondendo perguntas polêmicas relacionadas ao ministério da Educação.

Em parte da entrevista, Weintraub falou que as universidades federais estão dominadas pela esquerda. Ele chega a dizer que o valor dado pelo governo está sendo “jogado na privada”.

“É uma destruição de dinheiro gigantesca. São bilhões e bilhões de reais que todos os anos são jogados na privada, mais do que isso, servem para alimentar uma militância escória que se volta contra a própria sociedade”, declarou.

Leia também:
FNDE vai empenhar R$ 118,3 milhões para ensino médio integral

O ministro é um grande crítico da esquerda política, se tornando alvo de vários grupos militantes. Desde que assumiu o ministério, em meados de março, ele já foi processado 20 vezes, conforme ele diz nessa reportagem.

Ele não acredita no método de ensino baseado em Paulo Freire, a quem ele chama de “vodu”. Ele tem ideias de bloquear verbas para escolas com mal desempenho que continuarem usando os métodos do filósofo brasileiro.

Weintraub confessou que tem medo do PT voltar para o poder e se coloca como “a pedra” usada por David para derrotar o gigante Golias.

“Eu tenho dois pilares, a ciência/razão e a minha fé. Eu não sou David lutando contra Golias, eu sou a pedra. Eu vou derrubar Golias e tenho muita convicção que ele vai cair”.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS