Nasa apresenta o Mars 2020, veículo que enviará para Marte em julho de 2020

Por efe
27 de Diciembre de 2019
Actualizado: 27 de Diciembre de 2019

Los Angeles (EUA), 27 dez – A Nasa apresentou nesta sexta-feira o Mars 2020, o veículo explorador que partirá em julho do próximo ano para a próxima missão à Marte, e com o qual espera continuar avaliando se o planeta é habitável para a espécie humana.

De forma quadrangular, com 3 metros de comprimento e 2,7 metros de largura, o rover chegará ao solo marciano em fevereiro de 2021, especificamente na cratera Jezero, onde começará a coletar minerais e amostras de solo que fornecem respostas sobre as condições do planeta há milhões de anos.

Durante uma apresentação feita hoje à mídia no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, sigla em inglês), em Pasadena (Califórnia), onde o veículo está sendo construído, os técnicos da agência espacial americana revelaram que o rover passou por um test drive este mês.

“O teste provou sem dúvida que o Rover pode operar com seu próprio peso e demonstrou pela primeira vez muitas das funções de navegação autônoma”, disse Rich Rieber, engenheiro responsável pelos sistemas de mobilidade de veículos.

O teste representou “um marco importante”, pois o veículo autônomo foi projetado para “tomar mais decisões de direção por conta própria do que qualquer explorador anterior”, acrescentou.

O Mars 2020, que será enviado no início do próximo ano para o Cabo Canaveral (Flórida) para seu lançamento programado para 17 de julho, pesa 1.050 kg, uma massa que não será tão grande, já que a gravidade em Marte é de 0,375 que a da Terra. Ou seja, uma pessoa pesando 45 kg na Terra pesaria apenas 17 kg no chamado “Planeta Vermelho”.

Muito parecido com o Curiosity, o veículo que chegou a Marte em agosto de 2012, o Mars 2020 está equipado com câmeras de navegação de visão ampla, que podem capturar imagens a cores e de alta resolução, como disse Katie Stack Morgan, cientista do projeto.

Um computador adicional foi projetado para ser “o cérebro” que processa imagens, produz mapas e permite o uso de um sistema de navegação automática mais sofisticado do que qualquer outro veículo desse tipo.

O Rover pode percorrer uma média de 200 metros por dia marciano, o que é um pouco mais que a Terra (equivalente a 24 horas e 39 minutos).

Com essa capacidade, o veículo terá uma média diária de rota semelhante à de outro antecessor, o Opportunity, que atingiu no máximo 214 metros (702 pés) durante sua missão.

Com a chamada SuperCam, o rover pode obter não apenas imagens, mas análise da composição química e mineralogia do solo com observação remota. Além disso, também possui uma tecnologia que buscará produzir oxigênio usando o elemento principal da atmosfera marciana, o dióxido de carbono.

As amostras de rochas e solo coletadas pelo explorador serão armazenadas em tubos que serão depositados na superfície marciana para futuras missões a serem coletadas e trazidas para a Terra.

TE RECOMENDAMOS