Novo ataque jahidista na Somália deixa 4 mortos e 8 feridos

Por efe
08 de Enero de 2020
Actualizado: 08 de Enero de 2020

Mogadíscio, 8 jan – Pelo menos quatro pessoas foram mortas nesta quarta-feira e outras oito ficaram feridas em um ataque com carro-bomba do grupo jihadista Al Shabab em um cruzamento perto do Parlamento somali em Mogadíscio.

A forte explosão, que causou uma grande coluna de fumaça preta, ocorreu por volta das 9h (local, 3h de Brasília) em um posto de controle de segurança no cruzamento de Sayidka, que leva ao Parlamento e também fica perto do palácio presidencial.

“O carro-bomba estava em uma fila para uma verificação de segurança em um posto de controle entre o Ministério do Interior e o Parlamento”, detalhou o secretário do presidente da câmara legislativa e testemunha do ataque, Hassan Abshir, em entrevista à Agência Efe. “Pelo menos quatro pessoas morreram e outras oito ficaram feridas”, acrescentou.

O grupo somali jihadista Al Shabab, através do porta-voz Abdiaziz Abu Musab, reivindicou o crédito pelo ataque, o primeiro grande ataque na Somália em 2020.

Em 30 de dezembro, o Al Shabab, que aderiu à rede Al Qaeda em 2012, também reivindicou a responsabilidade pelo atentado com caminhão-bomba realizado dois dias antes. O atentado, também em Mogadíscio, deixou 92 mortos e 125 feridos.

O grupo controla parte do centro e sul da Somália e aspira a estabelecer um estado islâmico de Wahhabi (ultraconservador) no país. Além disso, nas últimas semanas, atacou alvos no Quênia, país que está ameaçado pela presença de tropas quenianas em território somali.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS