Novo estudo revela que exposição a dispositivos eletrônicos pode prejudicar desenvolvimento cerebral das crianças

Não deixe seus filhos sozinhos durante o uso de videogames, envolver-se com eles ajuda a compartilhar experiências e aprendizado
12 de Noviembre de 2019 Actualizado: 12 de Noviembre de 2019

Por Eduardo Tzompa, Epoch Times

Um estudo revelou que expor as crianças a dispositivos eletrônicos por mais de uma hora por dia traz sérios danos ao seu desenvolvimento e habilidades cognitivas.

A revista JAMA Pediatrics divulgou uma pesquisa realizada com crianças entre 3 e 5 anos pelo Centro Médico do Hospital Infantil de Cincinnati, onde foi demonstrado que aqueles que ficam expostos às telas digitais mais de uma hora por dia têm um desenvolvimento menor da massa branca do cérebro, uma área chave para o desenvolvimento da linguagem, alfabetização e áreas cognitivas.

O Dr. John S. Hutton, diretor do Centro de Leitura e Alfabetização do hospital, e sua equipe de pesquisadores, realizaram escaneamentos cerebrais sofisticados em 47 crianças saudáveis, todas de lares de língua inglesa e principalmente da classe média à média-alta.

Leia também:
Professor brasileiro realiza sonho de aluno deficiente que queria pular corda, sua felicidade se tornou viral

Para a realização do estudo, os pesquisadores perguntaram aos pais sobre a exposição de seus filhos a telas e usaram uma pontuação composta chamada ScreenQ que mede o tempo de exposição recomendado pela Associação Americana de Pediatria.

Meninas conversam segurando seus celulares (Sean Gallup/Getty Images)
Meninas conversam segurando seus celulares (Sean Gallup/Getty Images)

Um valor zero significa perfeita conformidade com os padrões recomendados: ausência de telas no quarto, uso de dispositivos eletrônicos depois dos 18 meses, nenhuma exposição a conteúdo violento e tempo total de tela de uma hora para crianças em idade pré-escolar.

Por outro lado, uma pontuação de 26 implica em uma violação total das diretrizes sugeridas, onde as crianças são expostas a conteúdo violento, iniciam o uso de dispositivos eletrônicos com menos de 18 meses e ficam diante de uma tela mais de uma hora por dia.

Após fazer uma comparação entre as horas expostas a dispositivos eletrônicos e a massa branca em seus cérebros, a equipe de pesquisadores relatou que crianças com mais exposição tinham linguagem expressiva mais pobre e menos capacidade de processar linguagem, como por exemplo a capacidade de nomear objetos rapidamente.

Hutton explicou que, durante os primeiros cinco anos de vida, o cérebro se desenvolve mais rapidamente e absorve todos os tipos de informações que permanecem ao longo da vida; assim, assistir televisão em excesso pode causar problemas diferentes, como a incapacidade das crianças de prestar atenção e pensar com clareza, desenvolvimento de maus hábitos alimentares, problemas comportamentais, atraso na linguagem, falta de sono e problemas no relacionamento entre pais e filhos.

Uso excessivo de tecnologias modernas causa novas doenças (Sean Gallup/Getty Images)
Uso excessivo de tecnologias modernas causa novas doenças (Sean Gallup/Getty Images)

“Em um mundo onde as crianças estão ‘crescendo digitalmente’, é importante ajudá-las a aprender conceitos saudáveis de uso digital e cidadania”, afirmou a Academia Americana de Pediatria em um comunicado no qual faz um alerta aos pais sobre seu papel de liderança na educação de seus filhos quanto a essa questão específica.

A Academia também faz uma série de recomendações às famílias a fim de ajudá-las a gerenciar o cenário moderno em constante mudança em que vivem com seus filhos:

• Desenvolva um plano familiar para o uso de mídia digital que permita dar prioridade ao exercício, coexistência presencial, jogos ao ar livre e sono.

• Conheça todas as plataformas e softwares que seus filhos usam, e conheça seus amigos online e offline.

• Não deixe seus filhos sozinhos durante o uso de videogames, envolver-se com eles ajuda a compartilhar experiências e aprendizado.

TE RECOMENDAMOS