ONG ataca vítimas da poluição nas praias, emporcalhando rua em frente ao Planalto

Factoide do Greenpeace fecha os olhos à origem venezuelana do petróleo nas praias nordestinas
Por Cláudio Humberto, Diário do Poder
23 de Octubre de 2019
Actualizado: 25 de Octubre de 2019

A ONG Greenpeace, que como todas as outras se mantinha em silêncio sobre o petróleo venezuelano que sujou o litoral do Nordeste, interrompeu o trânsito na porta do Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (23), para protestar contra o principal representante das vítimas da tragédia ambiental: o governo brasileiro.

Fazendo caras e bocas, com expressões raivosas, os manifestantes do Greenpeace sujaram a rua que passa defronte ao Planalto com óleo, areia e pedaços de madeira queimada, e vestindo camisetas com a inscrição “um governo contra o meio ambiente”. Sobre a origem do petróleo despejado no mar, silêncio absoluto.

As ONG ambientalistas têm mantido silêncio sobre a tragédia ambiental no litoral brasileiro desde a confirmação, por diversos exames laboratoriais, de que se encontra apenas em poços da Venezuela o petróleo que suja o litoral. A ditadura venezuelana mantém relações amistosas com essas organizações não-governamentais.

Pode explicar a omissão dessas ONGs as conexões partidárias e ideológicas com partidos que se apresentam como “de esquerda”, como o PT, cujos governos drenavam recursos públicos para bancar suas atividades e mantê-las sempre simpáticas às iniciativas daquelas gestões na área ambiental.

O mau humor das ONGs em relação ao governo brasileiro tem a ver com a perda de poder e principalmente do dinheiro farto que era drenado para suas contas, fazendo a pregação do apocalipse em um país que mantém intactas praticamente 70% das matas e florestas.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS