Opositor de Morales diz que não se renderá: “prisão ou presidência”

Bolívia negocia com a OEA a possibilidade de auditar os resultados das eleições
29 de Octubre de 2019 10:55 AM Actualizado: 29 de Octubre de 2019 10:55 AM

Por EFE

O opositor Carlos Mesa afirmou nesta segunda-feira (28) que não se renderá na disputa com o presidente da Bolívia, Evo Morales, a quem acusa de fraude eleitoral para vencer em primeiro turno as eleições do último dia 20.

“Ou a prisão ou a presidência do país. Não me renderei”, disse Mesa diante de milhares de manifestantes que se reuniram em um protesto contra o governo em La Paz.

“Não se dobrem, não se rendam. Somos milhares, não vamos ceder”, pediu o opositor, que presidiu a Bolívia entre 2004 e 2005, ao concluir o discurso no evento.

Os opositores organizaram um grande protesto em uma avenida do sul de La Paz para proclamar a vitória de Mesa no pleito, considerado por eles como fraudado. Os manifestantes gritavam palavras de ordem, como “ditadura não”, e levavam bandeiras da Bolívia.

Os protestos contra Morales se intensificaram nesta segunda-feira, apesar de simpatizantes do Movimento ao Socialismo (MAS), partido liderado pelo presidente, também terem saído às ruas da Bolívia para defender a transparência do processo eleitoral.

Morales é esperado em um protesto organizado na cidade de El Alto, a segunda maior do país, que fica na região metropolitana de La Paz.

A crise e a onda de protestos começaram há uma semana, quando o Tribunal Supremo Eleitoral divulgou resultados preliminares, posteriormente confirmados, que indicavam a vitória de Morales em primeiro turno.

Mesa, alguns países da região, como Brasil, Argentina, Colômbia e Estados Unidos, e a Organização de Estados Americanos (OEA) exigem a realização de um segundo turno para afastar qualquer suspeita de fraude no pleito. A Bolívia negocia com a OEA a possibilidade de auditar os resultados das eleições.

Houve confrontos em algumas das manifestações de hoje. Em Santa Cruz de la Sierra, 30 pessoas ficaram feridas em uma confusão envolvendo simpatizantes e opositores de Morales. Uma delas teria sido baleada e está em estado crítico no hospital.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.