Pentágono: EUA não querem guerra com Irã, mas estão prontos para “acabar uma”

Por efe
07 de Enero de 2020
Actualizado: 07 de Enero de 2020

Washington, 7 jan – O secretario de Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, declarou nesta terça-feira que o governo americano não quer começar uma guerra com o Irã, mas está pronto para “acabar uma”, em meio às tensões crescentes entre os dois países após a operação militar no Iraque que matou Qasem Soleimani, um dos principais líderes militares iranianos.

“Não queremos começar uma guerra com o Irã, mas estamos preparados para acabar uma”, disse o chefe do Pentágono em entrevista à rede de televisão “CNN”.

Esper reiterou que a operação contra Soleimani foi realizada após informações dos serviços de inteligência apontarem que ele planejava um ataque contra os EUA.

“Um líder terrorista, de uma organização terrorista que se encontra com outro líder terrorista para se sincronizarem e planejarem ataques adicionais contra diplomatas, tropas e instalações”, afirmou.

O chefe do Pentágono também comentou sobre a confusão gerada ontem pelas mensagens contraditórias sobre a permanência das tropas americanas no Iraque, depois que um comandante da coalizão internacional anunciou a realocação dos soldados em atuação no país e o Departamento de Defesa esclareceu que isso não significava uma retirada.

Esper negou que entre os alvos considerados pelo Pentágono em caso de o Irã adotar represálias estejam monumentos e patrimônios culturais.

Perguntado a respeito, ele declarou que os EUA seguirão “as leis do conflito armado e a lei internacional” em caso de um confronto bélico com o Irã.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS