Porteiro usado na fake news contra Bolsonaro agora diz que se ‘enganou’

À PF, ele afirmou que não foi 'seu Jair' quem autorizou a entrada de suspeito no condomínio
Por Diário do Poder
21 de Noviembre de 2019 4:23 PM Actualizado: 21 de Noviembre de 2019 4:23 PM

O porteiro usado para divulgação de fake news que tentou envolver o presidente Jair Bolsonaro no assassinato da vereadora Marielle Franco, recuou da sua história ao prestar depoimento à Polícia Federal. Também afirmou ter se sentido “confuso” durante os dois depoimentos à Polícia Civil, em outubro.

O porteiro mentiroso, usado como principal fonte de reportagem do Jornal Nacional, diz agora que se “enganou” ao afirmar que um “seu Jair” autorizara a entrada do ex-PM Élcio de Queiroz, dos envolvidos no crime no condomínio Vivendas da Barra, onde o presidente tem casa.

A lorota foi desmascarada já no dia seguinte, quando gravações das ligações do porteiro aos condôminos mostraram que ele não interfonou para a casa de Bolsonaro, e sim para outro morador.

O problema, na história do porteiro, é que no dia por ele indicado, Jair Bolsonaro, então deputado federal, estava em Brasília no plenário da Câmara, como demonstram imagens de TV.

A PF investiga o aso por determinação do ministro Sérgio Moro (Justiça), com o objetivo de verificar as motivações do porteiro e de eventuais outros envolvidos na trama.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.