Pressão pública consegue anular casamento arranjado de homem de 28 anos com menina de nove

Por JESÚS DE LEÓN
06 de Septiembre de 2019
Actualizado: 06 de Septiembre de 2019

O casamento de um homem de 28 anos e uma menina de nove anos no Irã foi anulado devido à pressão pública, depois que o vídeo do casamento foi transmitido nas mídias sociais.

“Sob pressão do público para as autoridades iranianas, o regime islâmico ordenou a revogação deste casamento infantil hoje”, relatou o jornalista Babak Taghvaee em sua conta no Twitter.

O clérigo xiita que realizou a união matrimonial “afirma falsamente que a família da menina mentiu para ele sobre a idade dela”, acrescentou.

O casamento aconteceu há duas semanas na cidade de Bahmai, na província de Kohkiluyeh e no Buyer Ahmad, e viralizou quando um jornalista compartilhou o vídeo do casamento no Twitter.

“É uma festa de casamento para uma menina com menos de 13 anos. Chorei quando recebi este vídeo … Sob as leis islâmicas, uma garota pode se casar, mas não pode escolher sua própria roupa”, disse Masih Alinejad, jornalista e defensora dos direitos das mulheres no Irã que transmitiu o vídeo.

Depois que a notícia do casamento se tornou viral as autoridades iranianas foram forçadas a exigir que um tribunal islâmico anulasse o casamento.

Além disso, Taghvaee revelou a identidade do homem e disse que ele pertence a uma milícia que faz parte do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica, a maior organização militar do Irã.

“O nome desse pedófilo de 28 anos é Milad (Shahrokh) Cheshani. Ele é membro da milícia Basij. A garota é Fátima Sayyadi. Milad Cheshani recebeu permissão da corte islâmica para se casar com essa garota menor de idade”, disse ele.

Ele também informou que o homem disse que era apenas “um casamento temporário” e que entrou em contato e ameaçou jornalistas que o criticaram por atos de pedofilia.

Sob as leis do Irã, meninas menores de 13 anos são proibidas de se casar.

A mídia internacional informou que os pais da menina e o clérigo xiita que organizaram o casamento serão processados pelo crime.

O casamento infantil viola os direitos humanos, independentemente de a pessoa envolvida ser um menino ou uma menina, mas é certamente a forma mais difundida de abuso e exploração sexual de meninas, segundo a ONU.

De acordo com o site iraniano de gestão de recursos humanos, especializado em notas de direitos humanos, alguns especialistas estimam que 41.000 casamentos de crianças menores de 15 anos ocorrem anualmente no Irã.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS