Professor romeno de teatro revela por que saiu da Universidade de Columbia: “Eu senti como se estivesse de novo no comunismo”

Nascido em Bucareste em 1943, Șerban estudou no Instituto Romeno de Teatro, após o qual se tornou diretor geral do Teatro Nacional Romeno
12 de Noviembre de 2019 Actualizado: 12 de Noviembre de 2019

Por GQ Pan, Epoch Times

Depois de lecionar na Escola de Artes da Universidade de Columbia por mais de duas décadas, o professor Andrei Șerban, nascido na Romênia, renunciou recentemente à sua posição.

Em um programa de televisão transmitido pela rede pública romena TVR, o famoso diretor de ópera e teatro revelou que renunciou porque o extravagante politicamente correto da escola o lembrava do comunismo.

Durante uma entrevista no programa de televisão romeno “Profesioniștii” (“Os Profissionais”), Șerban relatou dois episódios que motivaram sua decisão de se demitir.

Leia também:
Não existe ambientalismo; existe apenas comunismo

Em certa ocasião, de acordo com Șerban, os professores de seu departamento formaram um comitê de contratação depois que um membro da faculdade se aposentou. Durante a reunião para discutir sua substituição, ele disse que o reitor da Escola de Artes disse a ele que o candidato deveria ser, de preferência, uma mulher de cor ou gay, porque havia “muitos professores brancos, muitos homens e muitos professores heterossexuais”.

“Se for um gay, será bom”, disse o reitor de acordo com Șerban. “Se for um homem, é preferível que seja porto-riquenho ou de cor. Mas não pode ser alguém como você, porque você é um homem casado, heterossexual e com filhos.”

Ségun Șerban, ele perguntou ao reitor o que aconteceria se o candidato mais qualificado fosse um homem branco hetero que tivesse uma família, e o reitor supostamente lhe disse de imediato que ele não escolheria esse candidato. Șerban disse que acabaram contratando um gay negro para essa posição.

“Nesse momento eu senti que estava tomando uma decisão contra minha vontade”, disse Șerban . “Eu era o chefe desse comitê e estava aceitando algo porque me disseram para fazê-lo, porque me ordenaram. Eu senti como se estivesse de volta ao comunismo.”

Como um dos estados satélites soviéticos, a Romênia sofreu 42 anos sob o regime comunista até a queda do regime de Ceaușescu em 1989.

O outro episódio que Șerban mencionou que influenciou sua decisão de se demitir foi a audição de um estudante trans (agora mulher) para o monólogo de Julieta na peça “Romeu e Julieta” de Shakespeare. De acordo com Șerban, seus colegas o condenaram por expressar sua insatisfação com uma mulher transexual interpretando o papel de Julieta, o que representou a gota d’água que levou à sua demissão.

Nascido em Bucareste em 1943, Șerban estudou no Instituto Romeno de Teatro, após o qual se tornou diretor geral do Teatro Nacional Romeno.

Depois de emigrar para os Estados Unidos em 1969, viajou pelo mundo encenando peças e óperas em lugares como a Ópera de São Francisco, a Ópera Covent Garden, a Ópera de Viena, o Royal National Theatre em Londres, a Comédie Française de Paris, o Repertório de Yale e o ACT de São Francisco, entre outros.

TE RECOMENDAMOS