Projeto de lei dos EUA prorroga sanções às autoridades de Maduro até 2021

A lei de defesa dos direitos humanos e da sociedade civil na Venezuela expira em 31 de dezembro e os legisladores esperam aprovar a extensão do estatuto antes do final do ano
Por VOA
05 de Diciembre de 2019 Actualizado: 05 de Diciembre de 2019

Dois senadores dos Estados Unidos apresentaram na quinta-feira um projeto de lei que prorrogará até 2021 um estatuto que permita impor sanções a indivíduos responsáveis ​​por violações de direitos humanos na Venezuela.

“Esta legislação é uma mensagem clara para [Nicolás] Maduro e seu regime criminal alertando que eles serão responsabilizados por seus atos hediondos”, disse o legislador democrata Bob Menéndez, que apresentou o projeto juntamente com o republicano Marco Rubio em um comunicado.

A lei de defesa dos direitos humanos e da sociedade civil na Venezuela expira em 31 de dezembro e os legisladores esperam aprovar a extensão do estatuto antes do final do ano.

“Não há alternativa em que qualquer tipo de sanção contra esses indivíduos seja levantada enquanto uma máfia que não é eleita democraticamente permanecer no poder”, disse Rubio à Voz da América no Congresso.

A lei foi aprovada pelo Congresso em 2014, sob a presidência de Barack Obama, dando início à forte política de sanções dos Estados Unidos. em direção ao regime ilegítimo de Nicolás Maduro.

Em 2014, o país sofreu semanas de protestos em massa contra o líder chavista, que resultaram em 43 mortos e centenas de feridos como resultado da repressão das forças de segurança venezuelanas.

Após a aprovação desta peça legislativa, o Departamento do Tesouro sancionou os pesos pesados ​​do braço militar do governo venezuelano: o diretor do Serviço de Inteligência Bolivariano (SEBIN) e o diretor da Polícia Nacional Bolivariana, entre outros.

O projeto deve ser aprovado pelo Senado e pela Câmara para que a extensão seja autorizada.

Milagrosas histórias de um grupo de russos

TE RECOMENDAMOS