Revelada gigantesca ilha flutuante de pedra-pomes que se move pelo Pacífico em direção à Austrália

Por ANASTASIA GUBIN, Epoch Times
28 de Agosto de 2019 Actualizado: 29 de Agosto de 2019

Uma ilha flutuante gigantesca está se movendo pelo Pacífico e pode alcançar os recifes de coral da Austrália nos próximos meses.

A ilha, de 150 quilômetros quadrados, é formada pelas pedras-pomes de uma erupção vulcânica subaquática que passou despercebida por todos.

Agora, ela está atraindo a atenção dos cientistas, pois espera-se que milhares ou milhões de seres vivos invadam a ilha e sirvam para alimentar a Grande Barreira de Corais da Austrália, informou a Universidade Aberta da Tanzânia (OUT), em 23 de agosto.

Estas são as imagens compartilhadas por um navegador que se deparou com a ilha de pedras em 9 de agosto:

“Em 9 de agosto de 2019, navegamos por um campo de pedra-pomes por 6-8 horas, na maioria das vezes não havia água visível. Era como um campo arado. Achamos que as pedra-pomes tinham pelo menos 15 cm de espessura”, escreveu Shannon Lenz ao publicar o vídeo.

O pesquisador Scott Bryan tem acompanhado a viagem da ilha flutuante com a ajuda do Dr. Andrew Fletcher, um cientista espacial da Universidade Aberta da Tanzânia (OUT), desde a primeira observação no início de agosto.

“Esta é uma das rochas mais novas do nosso planeta, com apenas alguns dias de idade. A pedra-pomes é de uma erupção que ninguém testemunhou”, disse Bryan no relatório da universidade.

Pedaço de pedra-pomes (Michael Hoult, da Universidade Aberta da Tanzânia (OUT))

Segundo o professor “por enquanto, a pedra-pomes estará nua e estéril, mas nas próximas semanas os seres vivos começarão a aderir a ela”.

“Então eles crescerão e se diversificarão, para finalmente ficarem aqui na Austrália”, acrescentou.

Esses organismos que aderirão ajudarão a repovoar a Grande Barreira de Corais.

Este enorme recife é o maior e mais rico do mundo, embora sua mair parte  tenha morrido. Com seus mais de 2.600 quilômetros, a Grande Barreira de Corais se estende pela costa noroeste da Austrália (Recifes de coral. ScubaPonnie | Shutterstock)

Segundo o professor, a ilha de pedras passará por Nova Caledônia, Vanuatu e possivelmente algumas áreas de recifes de coral no leste do Mar de Coral, na época em que os principais corais aparecerem no final do ano.

“É o momento certo, portanto, você pode coletar corais e outros organismos que constroem os recifes e depois introduzi-los à Grande Barreira de Corais”, afirmou Bryan.

Trajetória da Ilha de Pedra-Pomes (Universidade Aberta da Tanzânia (OUT))

O cientista estudou outros eventos deste tipo de erupções submarinas que geraram ilhas flutuantes semelhantes nos últimos 20 anos. É um mecanismo potencial, que se repete em média a cada cinco anos, para trazer novos corais e outros habitantes saudáveis para o recife até a Grande Barreira de Corais.

Embora esclareça que não resolverá todos os problemas da destruição sofrida pelos recifes nos últimos anos.

Arrecifes de Coral muertos en la zoa norte de la Gran Barrera de Coral de Australia ( ARC Universidad James Cook)
Recifes de coral mortos na área norte da Grande Barreira de Corais da Austrália (ARC James Cook University)

Imagens de satélite da NASA revelam que o vulcão provavelmente entrou em erupção em 7 de agosto.

Os vulcanologistas do Smithsonian acreditam que as evidências apontam para um vulcão subaquático sem nome perto de Tonga, a 18.325 ° sul e 174.365 ° oeste. O último relatório de uma erupção no local ocorreu em 2001, informou o Observatório Terra da NASA.

Ilha de pedra pomes flutuante perto de Tonga em comparação com Manhatan (imagem de satélite da NASA)

Quando a rocha derretida da erupção de um vulcão esfria muito rapidamente, ela forma uma pedra porosa chamada pedra-pomes.

O casal australiano Michael Hoult e Larissa Brill, do SailSurfROAM, navegaram em seu catamarã para Fiji e encontraram a rocha vulcânica flutuando na superfície do mar, foram eles que deram o primeiro aviso.

Os marinheiros alertaram outros navios sobre o perigo e, desde então, os pesquisadores vêm colhendo amostras e detalhes delas.

TE RECOMENDAMOS