Senado deve votar hoje MP que transfere Coaf para o Banco Central

Orgão terá novo nome: Unidade de Inteligência Financeira (UIF)
Por agência brasil
12 de Diciembre de 2019
Actualizado: 12 de Diciembre de 2019

O plenário do Senado deve votar hoje (12) a Medida Provisória (MP) 893/19, que transfere o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Economia para o Banco Central (BC), reestruturando o órgão.

A medida foi aprovada ontem pela Câmara dos Deputados. No início da tarde desta quinta-feira, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), convocou sessão deliberativa extraordinária, tendo a matéria como único item da pauta. A MP perderá a validade caso a medida não seja aprovada pelo Senado até a próxima terça-feira (17).

O Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, durante sessão que aprovou o Projeto de Lei de Conversão 25/2019, que institui o Programa Médicos pelo Brasil
Alcolumbre convocou para hoje sessão do Senado que deve votar MP transferindo o Coaf para o Banco Central (Arquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A sessão está prevista para as 16h, assim que Alcolumbre (DEM-AP) voltar a Brasília de uma viagem que faz agora à tarde, junto com o presidente Jair Bolsonaro, a Tocantins.

Ontem, os deputados aprovaram a MP com algumas alterações. Entre elas, a mudança de nome do Coaf para Unidade de Inteligência Financeira (UIF) e a transformação do plenário, órgão colegiado, em um conselho deliberativo.

Outra novidade foi a retirada, com a aprovação de um destaque, da atribuição do Coaf de produzir informação para combate ao financiamento do terrorismo.

O Coaf tem a atribuição de produzir informações para prevenir e combater a lavagem de dinheiro, aplicando penas administrativas a entidades do sistema financeiro que não enviarem os dados necessários para esse trabalho de inteligência.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS