STF anula condenação na Lava Jato de ex-presidente da Petrobras na era PT

Esta foi a primeira condenação determinada por Moro anulada pelo Supremo desde o início da Lava Jato
Por Tiago Vasconcelos, Diário do Poder
28 de Agosto de 2019
Actualizado: 28 de Agosto de 2019

Nesta terça-feira (27), a 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu anular a sentença que condenou o ex-presidente da Petrobras durante a administração petista, Aldemir Bendine, no âmbito da Lava Jato, com base em mera tecnicalidade processual. É a primeira sentença do ex-juiz Sérgio Moro que foi anulada pelo STF desde o início da operação, em 2014.

Bendine foi condenado na primeira instância do então juiz federal Sergio Moro a 11 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Nesta terça, após a decisão da Segunda Turma, o processo dele voltará à primeira instância da Justiça para nova sentença porque, para os ministros do STF, Bendine “não foi ouvido” na fase correta do processo.

Na segunda instância, no Tribunal Regional Federal, a condenação de Bendine havia sido mantida, mas reduzida para quase 8 anos. O processo não chegou a ser concluído porque ainda faltava a análise de um recurso. O STF julgou um recurso da defesa do ex-presidente petista da Petrobras.

A maioria dos ministros considerou que há lacuna na lei da delação premiada, que não estabelece a ordem de fala no processo dos delatores e dos delatados. No processo de Bendine, ele e os delatores apresentaram suas alegações finais durante o mesmo período.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS