Suspender edital com séries LGBT não foi censura, diz ministro Osmar Terra

Ministro nega censura e acusa ex-secretário da Cultura de "criar enredo para justificar saída inevitável"
Por Redação, Diário do Poder
23 de Agosto de 2019
Actualizado: 23 de Agosto de 2019

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, disse nesta quinta (22) que o ex-secretário especial da Cultura, Henrique Pires, “criou um enredo para justificar uma saída que era inevitável” e que “não há censura” no país. Pires foi demitido por Terra ontem (21), mas aguarda publicação da exoneração.

“Ninguém é proibido de fazer nada no Brasil. Pode fazer qualquer filme em qualquer lugar. Agora, se vai envolver recurso público, nós [governo federal] temos o direito de opinar sobre os temas que são importantes”, afirmou Terra a jornalistas após palestrar para empresários em evento do Grupo Voto em São Paulo.

“Se tem um filme que trata da história do Brasil e outro que trata de outro tema, o governo tem que decidir”, disse o ministro. “O governo pode propor os temas. Por que eles têm que ser propostos por um funcionário do governo passado e nós temos que aceitar tudo? Não podemos ser obrigados a comer num prato feito no governo passado.”

Terra avalia que não houve censura na ação de suspender um edital com séries de temática LGBT. O chamamento havia sido criticado pelo presidente Jair BolsonaroE o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro instaurou procedimento para apurar a notícia de veto a projetos audiovisuais com temática LGBT.

“O edital será relançado. Nós vamos rediscutir que temas vão ter nele”, contou Terra, sem confirmar se o novo texto contemplará produções com temas LGBT. “Pode ser e não ser. Não tenho nada contra. Só quero saber se tem alguma coisa que é mais prioritária do que isso.”

“Quem paga os recursos do cinema brasileiro, os recursos públicos, é a sociedade. Então nós temos que ver os temas que interessam à sociedade”, disse o ministro.

A suspensão do edital culminou na saída de Henrique Pires da secretaria especial da Cultura, subordinada ao Ministério da Cidadania. Segundo o ministro, porém, os episódios não são relacionados. “Ele não tem o perfil para a gestão da secretaria”, diz Terra.

“[A saída de Pires] Não teve nada a ver com o episódio do edital. O que houve é que o secretário não estava desempenhando. Não estavam andando os programas de municipalização, e eu estava cobrando isso há tempos. Estava tudo muito lento ali na secretaria, e nós estamos correndo contra o relógio.”

“Eu fiquei surpreso [com a atitude de Pires]. Fui surpreendido pela notícia na imprensa. Ele nunca falou nada sobre isso [censura]. Pelo contrário, apoiou todas as medidas que estavam tomando”, diz. “Todas as discussões que nós tivemos sobre cinema, teatro e tal, ele participou e apoiou. (Com informações da Folhapress)

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS