Tenente da PM revela: polícia é vítima de guerra ideológica

Por Ricardo Roveran - Terça Livre
06 de Septiembre de 2019 2:42 PM Actualizado: 06 de Septiembre de 2019 5:44 PM

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves, da Polícia Militar do Estado de São Paulo, diretor da Associação dos Policiais Militares do Estado de São Paulo (ASPOMIL), 49 anos de polícia, foi o policial do ano na década 70 com ato heroico de bravura, e é articulista de 38 veículos de comunicação no país.

O oficial nos explicou a dura situação da polícia nas ações de invasão de terras por grupos criminosos, e por quais motivos a grande mídia bate tanto na polícia, agredindo os nossos policiais em quase todas as ações para as quais o governo os destaca, e ainda nos explicou quais são os métodos empregados pela PM em caso de rebelião em presídios, como foi a última, esta semana, liderada pelo Champinha.

Dirceu afirma que a Polícia Militar é hoje vítima de uma guerra ideológica, usam a imagem dela para bater no governo e quem sofre são os cidadãos e os policiais.

No ano de 1972, Dirceu foi considerado herói: num ato de bravura, estando ferido, realizou um salvamento impossível na estação de trem de campinas e por isto foi eleito o policial do ano. Esta história ele nos contou inteira na entrevista que você ouve abaixo.

Confira o que disse este valoroso oficial:

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.