Trump afirma que 1ª fase do acordo comercial com a China será assinado dia 15

Por efe
31 de Diciembre de 2019
Actualizado: 31 de Diciembre de 2019

Washington, 31 dez – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira que assinará em 15 de janeiro do próximo ano, a primeira fase do acordo comercial com a China, em ato que acontecerá na Casa Branca, com a presença de integrantes do governo do país asiático.

“Estarei assinando nossa muito grande e ampla primeira fase do acordo comercial com a China em 15 de janeiro. A cerimônia será na Casa Branca. Representantes do alto escalão da China estarão presentes”, escreveu o chefe de Estado, no Twitter.

Inicialmente, Trump chegou a indicar que o ato contaria com a presença do presidente da China, Xi Jinping, mas depois corrigiu a informação, indicando que será em outro momento o encontro entre os dois.

“Em uma data posterior, estarei viajando para Pequim, onde começarão as conversações para a segunda fase”, explicou.

Depois de 18 meses de guerra comercial e da consequente escalada de aumento de tarifas, Trump anunciou no meio deste mês o encerramento da primeira etapa das negociações com a China, o que inclui a retirada parciais de impostos e o aumento das compras de produtos americanos pelo país asiático.

O vice-ministro de Comércio chinês, Wang Shouwen, confirmou que a primeira fase do pacto aborda temas como a transferência de tecnologia, a propriedade intelectual, a expansão do comércio e o estabelecimento de mecanismos para a resolução de disputas, entre outros.

Os governos dos dois países se comprometeram a retirar, por etapas, as taxações que ambos impuseram durante o conflito.

O acordo implica, contudo, que se mantenham as tarifas dos EUA de 25% às importações chinesas, avaliadas em US$ 250 bilhões, junto com impostos reduzidos de 7,5% das importações adicionais, estimadas em, aproximadamente, US$ 12 bilhões.

As tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo começaram no ano passado, gerando fortes consequências, como a redução da previsão de crescimento global, feita pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS