Trump responde China com mais tarifas após retaliação de Pequim

Em uma série de tweets na sexta-feira à noite, Trump protestou sobre as novas tarifas da China e a considerou "politicamente motivada"
Por EVA FU
24 de Agosto de 2019 Actualizado: 24 de Agosto de 2019

Na mais recente escalada da guerra comercial Estados Unidos-China, o presidente Donald Trump anunciou no Twitter em 23 de agosto que vai equilibrar a “relação comercial muito injusta” com o regime chinês elevando as tarifas de US$ 250 bilhões em produtos chineses de 25 para 30 por cento.

A nova taxa entrará em vigor em 1º de outubro.

“Por muitos anos, a China (e muitos outros países) tem aproveitado os Estados Unidos no comércio, roubo de propriedade intelectual e muito mais. Nosso país tem perdido centenas de bilhões de dólares por ano para a China, sem nenhum fim à vista”, disse Trump em um tweet em 23 de agosto.

“Como presidente, não posso mais permitir que isso aconteça!”, acrescentou ele.

A decisão de Trump veio depois que a China impôs 10 por cento adicionais de tarifas sobre bens norte-americanos no valor de US$ 75 bilhões no início do dia, uma retaliação à decisão do governo norte-americano de impor tarifas a um valor de US$ 300 bilhões que entrará em vigor no dia 1º de setembro.

Ele também anunciou que as tarifas de US$ 300 bilhões em produtos chineses agora subirão para 15% em relação aos 10% anunciados anteriormente.

É importante ressaltar que, no início deste mês, o presidente disse que algumas categorias de produtos incluídos nos US$ 300 bilhões, bem como eletrônicos fabricados na China, teriam tarifas adiadas até 15 de dezembro. Trump havia dito que isso aliviaria os custos adicionais para os consumidores dos Estados Unidos durante o temporada de compras natalinas.

Em uma série de tweets na sexta-feira à noite, Trump protestou sobre as novas tarifas da China e a considerou “politicamente motivada”.

“Infelizmente, as administrações anteriores permitiram que a China chegasse tão longe no Comércio Justo e Equilibrado que ela acabou se tornando um grande fardo para o contribuinte americano”, disse Trump.

Hoje cedo, Trump liberou sua frustração via Twitter sobre as práticas comerciais injustas do regime chinês, incluindo o roubo de propriedade intelectual, dizendo que os Estados Unidos estariam “muito melhor sem eles [comércio com a China]”.

“Nosso país perdeu, estupidamente, trilhões de dólares com a China durante muitos anos. Eles roubaram nossa propriedade intelectual a uma taxa de centenas de bilhões de dólares por ano, e querem continuar … As vastas quantias de dinheiro feitas e roubadas pela China dos Estados Unidos, ano após ano, durante décadas, vão e devem parar – disse Trump. Ele pediu às empresas norte-americanas que procurem alternativas de fabricação para a China.

Wall Street deu um mergulho após o anúncio de Trump. O índice Dow Jones Industrial Average caiu 623,34 pontos, ou 2,37 por cento, para 25.628,9, enquanto o S & P 500 perdeu 75,84 pontos, ou 2,59 por cento, para 2.847,11. O Nasdaq Composite caiu 239,62 pontos, ou 3%, para 7.751,77.

Os preços do petróleo bruto dos Estados Unidos caíram 2,67%, para US $ 53,87 por barril. O índice do dólar também caiu 0,47%.

As conversações comerciais entre as duas principais superpotências econômicas estagnaram sobre como os Estados Unidos poderiam garantir que a China cumprisse seus compromissos, enquanto a China exigiu que todas as tarifas fossem suspensas durante as negociações.

Siga Eva no Twitter: @EvaSailEast

TE RECOMENDAMOS