Vidente argentino diz que viajou em disco voador e que alienígenas nos conhecem “muito bem”

Muitas de seus relatos mencionam a visita e o retorno de seres extraterrestres e naves espaciais, bem como seus propósitos de ajudar a salvar a humanidade
Por Blanca Téllez - La Gran Época
03 de Septiembre de 2019 Actualizado: 03 de Septiembre de 2019

O vidente argentino Benjamín Solari Parravicini profetizou surpreendentes acontecimentos com seus traços no papel, e não apenas os antecipou, mas disse que esteve com alienígenas em um disco voador. Com suas psicografias e histórias, ele anunciou que esses visitantes são do espaço sideral.

Quando criança, Benjamín era um ser especial que falava com anjos, fadas e duendes, então seu pai, um renomado psiquiatra de Buenos Aires, pediu um diagnóstico para determinar o que estava acontecendo com seu filho pequeno. No entanto, estudos revelaram que ele não estava sofrendo de nenhuma doença, conforme um artigo do jornal local El Litoral.

Várias décadas depois, ele começou a colocar em folhas de papel as mensagens que recebia de uma força estranha, segundo seu irmão Justino. Desde então, ele desenhou e comentou as mensagens que recebeu em estado de transe e que se refletiram em centenas de psicografias de viagens espaciais, naves e extraterrestres.

Entre os numerosos desenhos de Benjamín, em 1939 ele retratou seres extraterrestres ou “astronautas”, “seres azuis” do planeta “KI-EN-KI”, que retornarão após milhares de anos em enormes navios vermelhos em forma de peixe, publicou o Mistery Planet.

" Llegarán a la Tierra nuevamente seres extraterrestres, Llegarán en naves espaciales diferentes, de diferentes planetas…

تم النشر بواسطة ‏‎Pablo Ramírez‎‏ في الأحد، ٦ ديسمبر ٢٠١٥

Além disso, em 1960, Benjamín teve um encontro com seres de outro planeta, como relatou em uma entrevista ao jornal de Buenos Aires La Razón, que Ricardo González reproduz em sua web Legado Cósmico, com as experiências de Benjamín viajando em um disco voador.

“Estávamos descendo a rua Chacabuco, em uma noite com frio e nevoeiro, com um amigo. De repente, um homem surgiu ao nosso lado. Ou melhor, pensamos que era um homem”, disse Benjamin nessa entrevista.

“Aquele ser, aquele homem, era maior do que nós”, acrescentou falando sobre suas características peculiares, “era estranho … muito loiro, com cerca de um metro e oitenta e cinco de altura, com olhos grandes que pareciam ‘cegos’, porque não tinham pálpebras nem nada… eram redondas, muito estranhos. Ele estava vestido com algo que parecia um cardigã esverdeado e luminoso.

“Ele começou a acenar, e parecia que ele estava falando alguma coisa. Algo que não entendemos. Ele nos fez sinais como dizendo para que caminhássemos em direção à Diagonal, na direção da Casa do Governo”. Naquela noite fria e nebulosa, Benjamín só queria chegar em casa, então eles se afastaram, acrescentou o famoso vidente argentino.

Então o amigo que o acompanhava disse: “Você não acha que este homem não é deste mundo?” E Benjamín respondeu que ele “era muito raro. Especialmente os olhos, as roupas metálicas”. E ainda com curiosidade, eles voltaram de onde vieram: “Voltamos, mas o homem já não estava mais lá. Havia desaparecido”.

Várias noites depois, quando saiu para jantar depois de assistir a um filme no cinema, ele disse que enquanto caminhava em meio ao nevoeiro e ao frio da madrugada, “pela Diagonal, em direção a Belgrano. Quando eu estava atravessando a rua, aquele homem apareceu para mim de novo… Como se tivesse caído do céu”.

“O cara começou a falar, mas de um jeito estranho: jap, gloa, prirp, jap. Eu olhei para ele totalmente confuso porque eu não o entendia e então eu disse para mim mesmo: ‘Bem, esse aí me assusta’. Então apertei o passo […] e de repente… fiquei paralisado. Eu não conseguia mais andar… Eu não conseguia me mexer. Mal cheguei a cinco metros”.

Benjamin acrescentou na entrevista que estava plenamente consciente, mas não conseguia se mexer: “Comecei a me perder… a me perder… eu estava indo… eu estava ‘desmaiando'”.

Então ele lembrou: “De repente, me vi como na beira de um ‘navio’, com um trilho que parecia metal […] era como uma esplanada negra. Como borracha. Então, eu apareci lá, não sei como, e encontrei dois outros seres iguais. Muito sorridentes, eles me cumprimentaram colocando as mãos no meu ombro.”

Quando o entrevistador perguntou se aquilo era um “disco voador”, Benjamín respondeu: “Sim, é claro, não há dúvida” e depois disse: “Eu estava em um ‘disco voador'”.

Psicografías clásicas de Parravicini sobre los OvnisPlatos voladores en el mundo! BSP 1938Como referencia de la…

تم النشر بواسطة ‏‎Benjamin Solari Parravicini – Argentina‎‏ في الاثنين، ١٠ سبتمبر ٢٠١٨

E continuou: “Me passou pela cabeça a ideia de que eu estava em um objeto voador, porque eu via lá em baixo, lá em baixo!, a ponta do Obelisco da cidade de Buenos Aires, que então tinha uma luz. E justamente quando me ocorreu pensar isso, um deles me disse: Sim, nós somos de Vênus.”

Na viagem de Benjamín a bordo do disco voador, ele viu cidades lá do alto, até retornar a Buenos Aires, no mesmo lugar de onde tais seres o levaram.

Embora falassem uma língua estranha, esses seres disseram-lhe em espanhol: “Não se surpreenda, porque falamos todas as suas línguas, porque somos telepatas e você também é um telepata”. “Eu falo com você telepaticamente.”

O ser acrescentou: “Da mesma forma que vocês têm televisão, onde veem tudo o que acontece do lado de fora, nós vemos vocês perfeitamente, e os conhecemos perfeitamente”. Disseram-lhe também que o conheciam há um tempo e que queriam mostrar-lhe algo e ter uma experiência com ele.

"Ante las constantes visitas de navieros extraterrestres, la ciencia negará, luego dudará, y por fin dirá: ¡Verdad!…

تم النشر بواسطة ‏‎Benjamín Solari Parravicini‎‏ في الثلاثاء، ٥ فبراير ٢٠١٩

Em seu livro “O enigma do homem cinza” (2014), Ricardo González se pergunta sobre o que Benjamín disse nessa entrevista: se talvez os seres que disseram conhecê-lo fossem os mesmos que o haviam contatado telepaticamente há muito tempo para transmitir as mensagens que ele expressava em suas psicografias.

La profecía de Parravicini sobre el inminente contacto con extraterrestres https://buff.ly/2GumCEe

تم النشر بواسطة ‏‎Rincón Salfate‎‏ في الأحد، ٢٨ أبريل ٢٠١٩

Muitas delas mencionam a visita e o retorno de seres extraterrestres e naves espaciais, bem como seus propósitos de ajudar a salvar a humanidade

“Diante das visitas constantes de naves extraterrestres, a ciência negará, depois duvidará, e finalmente dirá: É verdade! E nossa sabedoria foi passada para trás. Séculos nos vigiam e contemplam!”, observou Benjamín em uma psicografia de 1940.

“A ciência se sente como uma criança diante do surgimento constante dos problemas relacionados a OVNIs. […] a ciência incapaz de saber, nega. A ciência cresce, mais … não é! ”, escreveu em outro de seus desenhos em 1969.

Dê uma olhada nas coisas que ocorrem nesta época e tire suas próprias conclusões.

TE RECOMENDAMOS