Visto concedido a cubanos pelos EUA aumentou para intercâmbios culturais e visitas familiares

Por Sebastian Puerta, Epoch Times
17 de Diciembre de 2019
Actualizado: 17 de Diciembre de 2019

O ano fiscal de 2019 do Gabinete de Assuntos Consulares dos EUA terminou com um aumento de 40% na entrega de vistos americanos para intercâmbios culturais e visitas familiares a solicitantes cubanos, e também a entrega de vistos para convites profissionais e de negócios.

Em uma análise das estatísticas publicadas pelo Escritório de Assuntos Consulares do Departamento de Estado, foram relatados os valores dos aumentos das concessões.

Apesar do desmantelamento dos intercâmbios com Cuba, promovido pelo governo Barak Obama, os vistos para convites profissionais e comerciais dobraram no ano fiscal de 2019, recentemente concluído.

Leia também:
Cuba e Venezuela ‘querem ordenhar a vaca próspera’ do Chile

O visto para imigrantes teve um ligeiro aumento, passando de 6.292 no ano anterior para 7.783 neste ano, apesar da falha na entrega de 20 mil vistos pelo governo.

Ocorreu um aumento significativo na entrega de vistos nas categorias B1 e B2, que correspondem a convites culturais e de negócios, por um lado, e visitas familiares, respectivamente.

Cerca de 6.959 entregas de vistos foram registradas em ambas as categorias, correspondendo ao período anterior. Por outro lado, o período atual registrou cerca de 10.191 concessões. Um aumento de 3.232 vistos adicionais.

A entrega de vistos contrasta com as sanções impostas pelo governo dos Estados Unidos ao regime de Castro pelo apoio concedido ao regime de Nicolás Maduro, ao papel desestabilizador que desempenha na América Latina e ao apoio que proporciona ao ditador nicaraguense Daniel Ortega.

Desde a chegada do presidente Donald Trump, as sanções têm sido reforçadas. Uma delas abre a porta para leis que permitem ações judiciais em tribunais norte-americanas por bens desapropriados após a revolução.

No entanto, as restrições à entrada em Cuba são um dos componentes mais fortes na política contra Miguel Díaz Canel.

O Departamento do Tesouro informou que os EUA não permitirão as viagens culturais e educacionais com contato com o povo cubano. As visitas à ilha também foram restringidas através de cruzeiros e iates, além de aeronaves particulares e corporativas.

As exportações de aeronaves e navios, particulares ou pertencentes a empresas, também foram bloqueadas.

No entanto, ainda existem algumas categorias que permitem a entrada de cidadãos dos EUA na ilha, como visitas médicas ou religiosas, visitas do governo, de pesquisadores ou projetos educacionais, entre outras.

De fato, recentemente o governo dos EUA proibiu o uso de fundos federais para promover programas de intercâmbio cultural com Cuba e outras nações, devido ao não cumprimento dos requisitos básicos para combater o tráfico de pessoas.

O documento assinado em meados de outubro diz: “Os Estados Unidos não fornecerão assistência não humanitária ou relacionada ao comércio, nem permitirão que funcionários ou empregados dos governos de Cuba, da República Popular Democrática da Coreia (RPDC) e da Rússia participem de programas de intercâmbio educativo e cultura, l e também da Síria para o ano fiscal de 2020, até que esses governos cumpram os padrões mínimos da Lei de Eliminação do Tráfico o ou façam esforços significativos para atender aos padrões mínimos.”

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS