Agora é hora de Trump assinar projeto de lei dos direitos de Hong Kong, diz ativista Joshua Wong

A Câmara votou 417-1 a favor da Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong, e o Senado a aprovou por unanimidade na semana passada
27 de Noviembre de 2019
Actualizado: 27 de Noviembre de 2019

Por Epoch Times

O ativista pró-democracia Joshua Wong disse em 25 de novembro que a participação pacífica e ordenada de Hong Kong nas eleições locais do último fim de semana mostra que o povo da cidade “merece a democracia”.

Wong foi visto cumprimentando e agradecendo às pessoas pelo apoio ao candidato do “plano b” Kelvin Lam, que ganhou a vaga de South Horizons West nas eleições do conselho distrital no domingo.

Wong foi a única pessoa proibida de participar das eleições.

Leia também:
Pequim julgou mal Trump e superestimou sua infiltração no governo dos EUA antes de atacar Hong Kong, afirma especialista

“Não apenas nos satisfaz (sic) apenas a escolha do conselho distrital. Precisamos ter eleições diretas para eleger nosso governo, o executivo-chefe de Hong Kong deve ser eleito por nós”, afirmou Wong.

Residentes apertaram as mãos e cumprimentaram Lam e Wong com sorrisos, enquanto ativistas pela democracia em toda a cidade comemoram uma vitória esmagadora após a participação recorde.

Wong disse que a votação também é uma mensagem ao presidente Donald Trump, para apoiar a reivindicação de liberdade de Hong Kong.

“E agora é a hora do presidente dos Estados Unidos assinar o projeto de lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong. Já mostramos nossa crença”, ele disse.

A Câmara votou 417-1 a favor da Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong, e o Senado a aprovou por unanimidade na semana passada.

Trump não sinalizou publicamente se assinaria a legislação, mas disse ter dito ao líder do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, que esmagar os protestos de Hong Kong seria “um grande erro” e teria “um tremendo impacto negativo” em um acordo comercial entre os Estados Unidos e a China.

O consultor comercial americano Peter Navarro disse no domingo que os advogados da Casa Branca estão revendo a lei de Hong Kong.

TE RECOMENDAMOS