Após novas acusações de abusos, julgamento de Weinsten é adiado para janeiro

Por EFE
26 de Agosto de 2019 Actualizado: 26 de Agosto de 2019

NOVA IORQUE, 26 ago (EFE) – O julgamento de Harvey Weinstein foi adiado nesta segunda-feira para o dia 6 janeiro, após o juiz encarregado do caso ter aceitado novas acusações de abusos sexuais supostamente cometidos pelo produtor cinematográfico.

Com início previsto para 9 de setembro, o julgamento foi adiado para que os advogados do produtor de Hollywood tenham mais tempo. Ao todo, a defesa terá 45 dias para responder às novas acusações feitas nesta segunda-feira pela atriz Annabella Sciorra, conhecida por interpretar Gloria Trillo na série “Família Soprano”.

A advogada do produtor Donna Rotunno afirmou à imprensa, após a audiência em um tribunal de Nova Iorque, que a equipe de defesa terá um mês e meio para responder. Depois, a promotoria deverá contra-argumentar o que for apresentado, antes que o juiz tome uma decisão final.

Diante do juiz, o produtor, que entrou nos tribunais algemado e saiu com as mãos livres, se declarou “inocente” das novas acusações recebidas.

Até o momento, Weinsten responde às acusações de estupro em um hotel de Manhattan em 2013 e de fazer sexo oral de maneira forçada em 2006, processos abertos por mulheres que permanecem no anonimato.

Na semana passada, a defesa do produtor solicitou que o julgamento não seja realizado na cidade de Nova Iorque, mas em “qualquer outro condado” do estado, para garantir que o processo seja “justo”. Os advogados consideram que a pressão midiática pode afetar a avaliação dos membros do tribunal.

TE RECOMENDAMOS