Cão tenta acordar seu amigo morto em rodovia movimentada por 30 minutos, então alguém aparece

Por ROBERT JAY WATSON
26 de Noviembre de 2019 10:19 PM Actualizado: 01 de Diciembre de 2019 9:26 PM

Embora os cães sejam famosos por sua lealdade a seus donos, chegando ao ponto de resgatá-los quando estão em perigo, eles demonstram o mesmo cuidado com todos os membros de sua “matilha”, independentemente da espécie que sejam.

Uma história da cidade de Quzhou, na província de Zhenjiang, na China, há alguns anos, ilustrou até que ponto esses animais incríveis irão se manter juntos.

Uma economia em expansão com uma população enorme torna o tráfego chinês especialmente intenso(Illustration – Shutterstock | evgenii mitroshin)
Uma economia em expansão com uma população enorme torna o tráfego chinês especialmente intenso(Illustration – Shutterstock |evgenii mitroshin)

O incidente ocorreu no meio de uma estrada movimentada em Quzhou, que tem uma população de mais de 2,5 milhões de habitantes. Com tráfego movimentado, incluindo carros, caminhões, motos, bicicletas e pedestres, as estradas podem ser perigosas.

Parece que dois cães pertencentes ao mesmo proprietário podem estar tentando atravessar a rua quando um deles, um husky marrom, foi atingido e ferido fatalmente. Um vídeo postado on-line pela Pear Video, uma das principais plataformas de vídeo da China, mostra uma cena de tragédia e devoção.

No meio da rua, a câmera captura o cadáver imóvel do husky marrom. Seu companheiro de matilha, um husky de cor branca, tenta reviver desesperadamente seu amigo lambendo o outro cachorro e pegando-o com a boca. O husky branco está claramente muito chateado e entende o perigo de permanecer no meio da estrada, onde os carros continuam passando.

Embora pareça que a polícia colocou um sinal de alerta atrás do cão ferido para avisar os motoristas que se aproximam, ninguém parece estar se esforçando para remover os cães da rua.

De acordo com o Daily Mail, o pobre husky branco passou quase meia hora com seu amigo caído, tentando continuamente acordá-lo e sair do caminho do perigo. Talvez o mais emocionante de tudo seja o modo como o cachorro branco late pedindo ajuda e se recusa a sair do local, mesmo sabendo que seu amigo não voltará mais.

Finalmente, uma mulher vestida de preto aparece no local e vai para a rodovia para dar apoio ao cachorro ferido para a calçada. Quando a polícia pergunta quem ela é, ela afirma ser a dona. Ela consegue pegar o cachorro e é assistida por outro espectador, enquanto a polícia simplesmente a vê remover o cachorro da rua. Claramente chateada, a dona fica com o cachorro ferido e pede ajuda.

Leia também:

Essa devoção inspiradora, mesmo após a morte, já foi vista quando, no início da primavera, um cachorro no estado de Washington chamado Daisy ficou ao lado de seu dono por mais de 24 horas. Ele caíra enquanto caminhava e sofreu ferimentos fatais. Daisy ficou ao lado dele o tempo todo até que finalmente uma equipe de busca do Departamento do Xerife encontrou o carro do proprietário. Quando começaram se aproximaram do local, eles ouviram Daisy latindo para chamar sua atenção.

Por causa da bravura do cão, o corpo do dono foi encontrado e ele pôde receber um enterro adequado. Mesmo quando os policiais estavam em cena, Daisy queria ficar com ele a todo custo, resistindo às tentativas dos policiais de separá-la do líder da matilha.

Ambas as histórias mostram que, quando os cães se relacionam com outras criatura, a relação é vitalícia. A lealdade deles deve nos inspirar a pensar sobre o que realmente significa ser fiel aos nossos amigos.

 

O que se pode fazer para deter o genocídio na China

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.