Foguetes caem em região onde fica embaixada dos EUA em Bagdá

Por efe
09 de Enero de 2020
Actualizado: 09 de Enero de 2020

Bagdá, 8 jan – Ao menos dois foguetes atingiram nesta quarta-feira a chamada Zona Verde, região fortemente protegida de Bagdá, capital do Iraque, onde ficam vários edifícios governamentais e missões diplomáticas, entre elas a embaixada dos Estados Unidos.

Uma fonte do Ministério do Interior iraquiano que pediu anonimato confirmou à Agência Efe a queda de dois projéteis provavelmente disparados por um sistema de lançadores múltiplos Katyusha. Nenhuma morte ou danos materiais foi relatada até o momento.

Este foi o terceiro ataque deste tipo nos últimos cinco dias no centro de Bagdá, alvo de foguetes nos últimos sábado e domingo. Um dos que foram lançados no fim de semana deixou feridos cinco civis que estavam em uma casa perto da Zona Verde.

O novo caso aconteceu em meio a uma grave escalada na tensão no Oriente Médio, desencadeada pelo ataque americano em Bagdá na última sexta-feira que matou o general Qasem Soleimani, comandante da Força Quds (unidade especial da Guarda Revolucionária Iraniana), e lideranças das Forças de Mobilização Popular do Iraque, milícia apoiada pelo Irã.

Ontem à noite, o Irã respondeu a esta ação lançando mísseis contra duas bases militares onde estão destacadas tropas americanas no oeste e norte do Iraque. Os ataques não causaram baixas, de acordo com fontes em Bagdá e Washington.

As Forças de Mobilização Popular do Iraque também haviam prometido retaliar a morte de alguns de seus líderes no ataque que matou Soleimani.

Por outro lado, os ataques com foguetes contra a Zona Verde são relativamente frequentes e vinham ocorrendo antes do início do aumento da tensão entre Washington e Teerã dos últimos dias.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS