Golfinho atingido por óleo é encontrado morto em praia de Alagoas

Animal apareceu em Feliz Deserto (AL) e é primeiro mamífero marinho a morrer com óleo

Por Davi Soares, Diário do Poder
14 de Octubre de 2019 11:56 AM Actualizado: 14 de Octubre de 2019 11:56 AM

Uma equipe de monitoramento do Instituto Biota de Conservação encontrou na manhã deste domingo (13) um golfinho morto com manchas de óleo, numa praia de Feliz Deserto, no Litoral Sul de Alagoas.

O animal é o primeiro mamífero aquático a ser atingido fatalmente pelo derramamento de petróleo, que já matou pelo menos 13 tartarugas marinhas e uma ave, na costa nordestina do Brasil, desde setembro.

Veterinários da ONG alagoana se deslocaram até a praia, para realizar uma necropsia no golfinho.

O Ibama em Alagoas divulgou orientações sobre como agir, em caso de ocorrências relacionadas ao derramamento de petróleo que já atinge 161 praias de 72 municípios dos nove estados do Nordeste.

A primeira medida a ser tomada diante do flagrante de óleo ou animais mortos no litoral é entrar em contato com órgãos ambientais e com a prefeitura local. Veja alguns contatos: IBAMA Alagoas, (82) 2122-8300 e 2122-8329; Instituto do Meio Ambiente (IMA/AL), (82) 8833-9397; e Batalhão de Polícia Ambiental (BPA/AL), (82) 3315-4325.

Orientações

Viu manchas de óleo nas praias, nos corais, nas falésias?

– Evite o contato com o resíduo;

– Se ocorrer contato com a pele, higienize a área afetada com gelo e óleo de cozinha;

– Em caso de ingestão ou reação alérgica, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima.

Encontrou animais sujos de óleo?

– Ao encontrar um animal contaminado, evite contato com o mesmo;

– Proteja o animal do sol;

– Não devolva o animal contaminado para o mar.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.