Governo argentino pega US$ 1,3 bilhão em reservas para quitar dívidas

Por efe
02 de Enero de 2020
Actualizado: 02 de Enero de 2020

Buenos Aires, 2 jan – O novo governo da Argentina ordenou nesta quinta-feira a emissão de Bilhetes do Tesouro por mais de US$ 1,3 bilhão, que serão subscritos pelo Banco Central, a um prazo de dez anos, e que serão usados para pagar a dívida pública do país, imerso em grave crise econômica.

A medida foi formalizada através de uma resolução do Ministério da Fazenda e Finanças Públicas publicada hoje no Diário Oficial.

A resolução prevê a emissão de Letras do Tesouro Nacional de até US$ 1.326.575.829 a serem subscritos pelo Banco Central, as quais acumularão juros “com base na taxa de juros acumulada pelas reservas internacionais do Banco Central da República Argentina (BCRA) durante o mesmo período e até um máximo de a taxa LIBOR anual menos um ponto percentual”.

A decisão do governo de Alberto Fernández baseia-se na nova lei de “solidariedade social e renascimento produtivo”, que autoriza o governo a utilizar até US$ 4,571 bilhões em reservas do BCRA para pagar compromissos de dívida.

“Considera-se pertinente o cancelamento de serviços de dívida denominados em moeda estrangeira, mediante o uso de reservas no âmbito estabelecido no Título IX da lei mencionada, considerando o BCRA, Letras do Tesouro emitidas em dólares norte-americanos” justifica a medida publicada no boletim.

Atualmente, a Argentina não tem acesso aos mercados internacionais de capitais para acessar o financiamento de seus vencimentos.

Fernández, que assumiu a presidência no dia 10 de dezembro, reafirmou sua disposição de pagar a dívida pública e a Argentina está agora se preparando para iniciar uma negociação para estender as condições de pagamento de suas dívidas com credores privados e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O ex-presidente Mauricio Macri foi forçado a renegociar o vencimento de algumas obrigações de dívida de curto prazo em meio à crise da economia argentina, em recessão desde abril de 2018.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS