HISTÓRICO: Bolsonaro denuncia Foro de São Paulo na ONU

O presidente ainda defendeu o livre-mercado, condenou o socialismo, defendeu a soberania nacional e denunciou o indigenismo manipulador de organizações estrangeiras
Por Bruna de Pieri, Terça Livre
25 de Septiembre de 2019 11:04 AM Actualizado: 25 de Septiembre de 2019 11:04 AM

O presidente Jair Bolsonaro iniciou seu discurso histórico na 74ª Assembleia Geral da ONU lembrando que o Brasil esteve à beira do socialismo.

Ele falou de como o PT e a esquerda destruíram o país, lembrando que em 2013 um acordo entre o governo petista e a ditadura cubana trouxe ao país 10 mil médicos sem nenhuma comprovação profissional. “Foram impedidos de trazer cônjuges e filhos, tiveram 75% de seus salários confiscados pelo regime”.

Enfatizou que era um trabalho escravo, respaldado por entidades de direitos humanos do Brasil e da ONU e que antes mesmo de ele assumir o governo, quase 90% destes médicos deixaram o Brasil, por ação unilateral do regime cubano.

Disse ainda: “O socialismo está dando certo na Venezuela: todos estão pobres e sem liberdade.”

O ápice do discurso foi quando o chefe do executivo brasileiro DENUNCIOU o Foro de São Paulo: “Organização criminosa, criada em 90, por Fidel Castro, Lula e Chávez, para difundir e implementar o socialismo na América Latina, ainda continua vivo e tem que ser COMBATIDO”.

O presidente ainda defendeu o livre-mercado, condenou o socialismo, defendeu a soberania nacional e denunciou o indigenismo manipulador de organizações estrangeiras.

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.