Milhares de pessoas expostas na China à tecnologia de ‘controle da mente’ buscam respostas

O dispositivo pode emitir uma onda eletromagnética que imita as freqüências humanas reais da pessoa selecionada, criando uma falsa sensação ou alucinação ou controlando as funções corporais do sujeito
Por NICOLE HAO
31 de Octubre de 2019 11:02 PM Actualizado: 31 de Octubre de 2019 11:02 PM

A tecnologia secreta permanece oculta, no entanto, dezenas de milhares de pessoas dizem que sofreram seus efeitos nocivos na China.

Por meio de fóruns on-line, muitos afetados comentaram como de repente sofreram sintomas que alteraram suas mentes, como ouvir vozes ou ver imagens que outras pessoas não podiam. Eles acreditam que as autoridades chinesas os selecionaram como sujeitos de teste involuntários da “tecnologia de controle da mente”.

Os sintomas são semelhantes aos relatados por vários diplomatas dos Estados Unidos que trabalharam no consulado dos Estados Unidos na cidade de Guangzhou, na província chinesa de Guangdong. Eles disseram que ouviram sons “anormais” e sentiram fortes pressões atmosféricas. Então, eles mostraram sinais de “lesão cerebral traumática leve”.

Jinnie Lee, porta-voz da Embaixada dos Estados Unidos em Pequim, disse à Associated Press na época que um funcionário do governo dos Estados Unidos relatou pela primeira vez uma variedade de sintomas físicos entre o final de 2017 e abril de 2018.

Naquela época, o Departamento de Estado dos Estados Unidos disse que investigaria o incidente, observando que era semelhante a um incidente ocorrido em 2017, quando cerca de 40 diplomatas da embaixada dos Estados Unidos em Havana, Cuba, também relataram que ficaram doentes após ouvir um som incomum. Isso causou certa especulação de que eles teriam sido atacados por uma arma sônica ou eletromagnética.

Exames cerebrais do pessoal afetadas da embaixada dos Estados Unidos em Cuba revelaram anormalidades no tecido cerebral, informou o The Guardian em julho.

Ataques

Uma ONG sediada na China, cujo nome se traduz em espanhol como “Contra o controle técnico oculto”, foi criada para ajudar as vítimas desses ataques a abrir processos contra as autoridades locais.

A edição chinesa do Epoch Times entrevistou várias vítimas e o representante da ONG, que descreveu suas experiências.

Um homem que usa o sobrenome de Zhong – para se proteger de represálias do regime chinês – organiza as vítimas para que entrem com ações conjuntas contra 24 governos provinciais desde 2016, além de seis ações nacionais desde 2017.

Zhong disse que as vítimas têm idades e ambientes sociais, educacionais e de trabalho diferentes e são de diferentes partes da China. Isso o levou a acreditar que cada governo provincial está envolvido em seus próprios testes de “controle da mente”.

As vítimas relataram ter sintomas semelhantes desde a década de 1980. Por décadas, as vítimas sentiram sofrimento mental e físico, e algumas optaram por tirar a vida como resultado do tormento, mas os tribunais locais se recusaram a ouvir os casos das vítimas. Como resultado, muitos deles estão confinados em hospitais psiquiátricos.

Zhong disse que, na tentativa de silenciá-lo, as autoridades chinesas também o forçaram a entrar em um hospital psiquiátrico.

Li Da, engenheiro e ex-gerente geral adjunto da Shanghai Taidao Control Engineering Company, disse que foi vítima de “tecnologia de controle da mente”. Ele disse à edição chinesa do Epoch Times que, a partir de 2015, muitas vítimas ingressaram em um fórum on-line, chamado de “Fórum Global sobre Controle da Mente”, para compartilhar suas experiências.

Quando a censura do regime encerrou o fórum em 2017, havia mais de 70.000 membros registrados com seus nomes reais, informações de contato válidas e com os sintomas.

Sintomas

Um homem de Pequim chamado Wang, ex-diretor da divisão de esportes de um grupo de mídia chinês, disse à edição chinesa do Epoch Times que por volta de 2016 ele começou a ouvir barulhos estranhos toda vez que atendia o telefone, até durante telefonemas com a mãe nos Estados Unidos.

“Eu sempre ouvi uma terceira pessoa falando comigo [durante telefonemas]”, disse Wang.

A princípio, Wang achou que sua audição estava falhando. Ele foi ao médico, que lhe disse que sua audição estava boa.

Com o tempo, Wang começou a ouvir vozes. “Tudo o que eu tinha em mente era que a voz era capaz de expressá-la verbalmente. Além disso, só eu podia ouvi-la, os outros não.

A situação estava ficando cada vez pior.

“Ela segue você o tempo todo, como sua sombra. (…) A voz pode conhecer seus pensamentos e memórias particulares, incluindo suas fraquezas, defeitos e más ações do passado. Então, ele [a voz] aproveita esse conhecimento para humilhá-lo, desprezá-lo e censurá-lo, e chegar ao extremo com ataques verbais.”

Wang tentou descobrir a fonte disso.

“Em um experimento, fiquei dentro de uma sala e usei chapas de metal para impressão de jornais [que podem bloquear ondas eletromagnéticas] para cobrir paredes, teto e piso. Nessa sala fechada, percebi (…) que a voz perturbadora não podia mais ler minha mente”.

A voz também interferiu em sua vida cotidiana.

“Eu inevitavelmente adormecia enquanto dirigia por mais de 10 minutos. Não era um sono profundo, mas um estado de quase sonho, e eu não tinha absolutamente nenhum controle sobre ele”, disse Wang. Como resultado, ele se envolveu em quatro acidentes de carro em menos de um ano.

Isso convenceu Wang de que a voz era controlada por alguém conduzindo um experimento de “controle da mente”.

Wang disse que procurou um amigo que era um alto funcionário do Partido Comunista Chinês. Esse amigo confirmou: “Existe tecnologia de controle mental, e nosso governo a trata com muita seriedade”.

Ele acredita que foi selecionado pelas autoridades chinesas porque sua irmã é especialista em tecnologia nos Estados Unidos e ele se recusou a ceder à pressão do regime para convencer sua irmã a fornecer segredos comerciais a Pequim, disse ele.

Outros que procuraram ajuda na ONG tiveram experiências semelhantes.

Yao Duojie, ex-gerente de um hotel cinco estrelas da cidade de Shenzhen, disse à edição chinesa do Epoch Times que vozes estranhas o incomodam desde 2007, além de mensagens irritantes e assustadoras que apareciam diante de seus olhos.

“O que ele pensou, o que fez, o que viu, a voz expressou verbalmente. Depois de algum tempo, também ocorreram mensagens intimidadoras, dizendo que alguém ia me matar ou me prender. Numa fase posterior, assim que fechei os olhos, imagens desagradáveis ​​apareceram [em minha mente]. Ele viveu aterrorizado dia após dia. Senti que minha situação era como a de uma pessoa com doença mental”, disse Yao.

Palavras de Pequim

As autoridades chinesas admitiram a existência dessa tecnologia, mas apenas para explicar que outros governos realizaram experimentos relacionados.

“Se os sujeitos de teste selecionados secretamente estiverem em uma residência privada, em um espaço público, em um ambiente industrial ou em transporte público e privado, eles podem ser afetados por estímulos químicos e biológicos emitidos pela arma misteriosa” , a rede de televisão estatal da China CCTV informou em 2008. “Depois de muito tempo, os sujeitos do teste se isolarão da sociedade e sua imunidade diminuirá, causando várias doenças e até a morte”.

O People’s Daily, porta-voz do Partido Comunista Chinês, informou em maio de 2012: “Os soldados que foram atacados por essas armas alteraram o comportamento e se tornaram” zumbis “que podem ser facilmente controlados. Eles podem receber ordens para desligar o motor de um tanque.

O artigo acrescentou que a tecnologia “controle da mente” pode fazer com que os soldados se matem.

A tecnologia

Há pouca pesquisa científica sobre esse tipo de tecnologia. Mas imagens de satélite confirmam que o regime chinês desenvolveu instalações de teste de armas de pulso eletromagnético (EMP).

Em janeiro, foi desclassificado e publicado um estudo do Congresso dos Estados Unidos sobre armas de “EMP nucleares” desenvolvido pela China, Rússia, Irã e Coreia do Norte, que fornece mais informações sobre armas de EMP que podem inutilizar infraestruturas.

Uma ONG chinesa publicou um relatório sobre a tecnologia de “controle da mente” em fevereiro, depois que as pessoas afetadas fizeram suas próprias pesquisas.

Um oficial militar baseado na cidade de Xuzhou, província de Jiangsu, que participou do desenvolvimento da tecnologia de “controle da mente”, disse à ONG em junho que o regime chinês possui uma máquina “que pode interferir ou atacar o cérebro” de uma pessoa a milhares de quilômetros de distância. Você pode conectar o cérebro da pessoa, monitorar sua intenção, controlar seu sistema nervoso autônomo e até parar os batimentos cardíacos”, afirmou o policial.

O estudo da ONG concluiu que a máquina mencionada pelo oficial provavelmente tinha a capacidade de emitir ondas eletromagnéticas nas mesmas frequências que um cérebro humano.

O dispositivo pode emitir uma onda eletromagnética que imita as freqüências humanas reais da pessoa selecionada, criando uma falsa sensação ou alucinação ou controlando as funções corporais do sujeito, de acordo com o estudo.

Yi Ru colaborou na elaboração deste artigo.

**********

Assista também:

Mortos por órgãos

 

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.