Novo dispositivo médico permite que pessoas cegas voltem a ver

Por ANDREW THOMAS
25 de Octubre de 2019 Actualizado: 27 de Octubre de 2019

Jason Esterhuizen sempre sonhou em ser piloto. Tragicamente, um acidente de carro o deixou cego. Oito anos depois, ele pode ver novamente pela primeira vez, graças a um novo dispositivo médico.

Leia também:

Jason tinha 23 anos quando dirigia na África do Sul, sua terra natal, em dezembro de 2011. Enquanto dirigia, um pedestre atravessou na frente dele. Jason virou-se para evitá-lo, mas perdeu o controle do carro.

O carro bateu na calçada e virou-se. Jason não estava usando cinto de segurança e seu rosto colidiu com o painel do carro antes dele ser expulso do veículo.

Jason Esterhuizen ficou cego por oito anos (Cortesia da UCLA Health)
Jason Esterhuizen ficou cego por oito anos (Cortesia da UCLA Health)

Jason se feriu e perdeu a consciência, e acordou duas semanas depois de ficar em um coma induzido por medicamentos.

“Tenho sorte de estar vivo”, disse Jason ao Epoch Times.

Perda de visão

Jason perdeu o olho direito, o nervo óptico do olho esquerdo ficou rasgado, foram rompidos ambas as córneas dos olhos, o nariz, a mandíbula, a bochecha e o o crânio foi fraturado.

Quando Jason acordou pela primeira vez, ele ficou em choque. Na verdade, ele pensou que estava sonhando. O médico chegou e disse que ele havia sofrido um acidente de carro e que, como resultado de seus ferimentos, ele nunca mais poderia enchergar.

Jason ficou chocado e lutou para aceitar o fato de que ele era cego.

“Honestamente, demorei dois anos para fazer as pazes comigo. Eu estava aceitando o fato de que sou cego – explicou Jason.

Jason Esterhuizen viveu na escuridão completa por oito anos após seu acidente de carro (Cortesia da UCLA Health)
Jason Esterhuizen viveu na escuridão completa por oito anos após seu acidente de carro (Cortesia da UCLA Health)

Depois que Jason assumiu sua cegueira, ele começou a abraçar a vida cada vez mais.

Leia também:

Ele começou a namorar de novo e começou a andar de moto enquanto seguia o som do SUV de seu cunhado na frente dele em sua fazenda.

Ele começou a sair com amigos novamente e se adaptou aos desafios de não poder ver. Apesar de passar por dias frustrantes, ele finalmente fez as pazes com o fato de que ficaria cego pelo resto da vida.

Fora do escuro

Cinco anos atrás, Jason estava ouvindo um programa chamado “Carte Blanche” na África do Sul. Havia uma história sobre implantes experimentais para pacientes com retinite pigmentar que estava ajudando a restaurar sua visão. A Escola de Medicina David Geffen, da UCLA, fez uma parceria com a empresa Second Sight para desenvolver um dispositivo chamado Orion.

Antes que Jason pudesse alcançá-los, um amigo dele já havia feito isso em seu nome.

Jason foi convidado para os Estados Unidos para participar do teste experimental do dispositivo em março de 2018. Após seu exame médico e psicológico, Jason estava programado para operar em 29 de março de 2018.

Os médicos da UCLA removeram uma pequena parte do crânio de Jason e colocaram um implante com 6o eletrodos no córtex visual do cérebro. Em seguida, substituíram a peça do crânio e selaram a incisão. Após um mês de recuperação, os médicos examinaram cada eletrodo de implante para ver quais eram os mais eficazes.

Jason Esterhuizen agora pode distinguir entre claro e escuro, identificar objetos, classificar roupas e atravessar a rua com segurança (Cortesia da UCLA Health)
Jason Esterhuizen agora pode distinguir entre claro e escuro, identificar objetos, classificar roupas e atravessar a rua com segurança (Cortesia da UCLA Health)

Jason usa um par de óculos de sol que carregam uma câmera pequena. A câmera traduz as imagens em pulsos elétricos, que estimulam os eletrodos do implante em seu córtex visual. O implante envia pulsos elétricos ao seu córtex visual primário, que lhe permite ver novamente em grande parte.

“O primeiro momento em que eles ligam é incrível, mas acho que é ainda mais emocionante ouvir histórias sobre como eles usam o dispositivo e como ele se torna uma parte tão natural do que eles fazem”, disse o Dr. Nader Pouratian.

Jason agora pode ver o movimento, pode distinguir entre claro e escuro, classificar roupas, identificar objetos ao seu redor e atravessar a rua com segurança.

“Toda vez que eu o ligo e vejo coisas, isso coloca um grande sorriso no meu rosto, porque eu posso ver algo novamente”, disse Jason.

*****

Superando o autismo – A história de Brady

Superando o autismo – A história de Brady

Superando o autismo – A história de Brady.Crédito da música: Tony Chen Music

اس پر ‏‎Epoch Times – Sublime‎‏ نے شائع کیا بدھ، 19 جون، 2019

 

 

TE RECOMENDAMOS