Oposição alerta sobre presença de militares russos no Arco Mineiro da Venezuela

Rumores da presença de tropas russas na Venezuela circulam desde o final de 2018, mas evidências concretas de seu destacamento permanente são escassas
04 de Diciembre de 2019
Actualizado: 04 de Diciembre de 2019

Por Sabrina Martín, Epoch Times

“Grande número de militares russos” teria chegado ao estado de Bolívar na Venezuela. Embora não haja informações oficiais a esse respeito, a presença pode estar relacionada ao Arco Mineiro do país sul-americano.

Andrés Velásquez, líder da oposição a quem a tirania de Nicolás Maduro arrebatou o governo daquele graças a uma fraude eleitoral, denunciou que os russos têm a intenção de “ocupar áreas no Arco Mineiro da Morte”.

Leia também:
Alemanha expulsa 2 diplomatas russos após morte de um georgiano-checheno

A Zona de Desenvolvimento Estratégico Nacional Arco Minero del Orinoco é uma área rica em recursos minerais que o regime ilegítimo de Nicolás Maduro pretende explorar. Ocupa principalmente o norte do estado de Bolívar e, em menor proporção, o nordeste do estado do Amazonas e parte do estado do Delta Amacuro. Possui 7.000 toneladas de ouro, cobre, diamante, coltan, ferro, bauxita e outras reservas minerais.

De acordo com matéria escrita pelo jornalista holandês Bram Ebus, as máfias, muitas delas dirigidas de prisões, começaram a assumir o controle das minas venezuelanas a partir de 2011, depois que o regime venezuelano nacionalizou grande parte de sua indústria de mineração.

Ebus explica que o exército venezuelano está clandestinamente envolvido na indústria ilegal de ouro, apoiando quadrilhas em troca de uma parte de seus lucros. “Os mineiros pagam dinheiro de extorsão, conhecido como ‘vacina’, aos pranes ou líderes de prisões, em troca da permissão de trabalhar”, diz o relatório.

Não é a primeira vez que militares russos são vistos na Venezuela. Em novembro, o portal Israel News noticiou a presença de homens que falavam russo que, em Caracas, estavam vestindo trajes militares venezuelanos.

O DFRLab monitorou o envio do exército russo para a Venezuela desde o início de 2019. Em abril informou, confirmando com fotografias, sobre o desembarque de militares russos em Caracas.

Rumores da presença de tropas russas na Venezuela circulam desde o final de 2018, mas evidências concretas de seu destacamento permanente são escassas.

Não é de surpreender que, em troca de favores militares e tecnológicos, Maduro esteja pensando em conceder à Rússia o controle de alguma mina de ouro na Venezuela, assim como fez com a Turquia e com grupos criminosos como o ELN.

Esta matéria foi originalmente publicada por PanAm Post

O conteúdo desta matéria é de responsabilidade do autor e não corresponde à opinião do Epoch Times

Done a The Epoch Times

Cómo puede usted ayudarnos a seguir informando

¿Por qué necesitamos su ayuda para financiar nuestra cobertura informativa en Estados Unidos y en todo el mundo? Porque somos una organización de noticias independiente, libre de la influencia de cualquier gobierno, corporación o partido político. Desde el día que empezamos, hemos enfrentado presiones para silenciarnos, sobre todo del Partido Comunista Chino. Pero no nos doblegaremos. Dependemos de su generosa contribución para seguir ejerciendo un periodismo tradicional. Juntos, podemos seguir difundiendo la verdad.

TE RECOMENDAMOS