Policial envolvido em operação contra filho de El Chapo é morto em plena luz do dia

Por Marina Dalila
08 de Noviembre de 2019 Actualizado: 09 de Noviembre de 2019

Um policial mexicano envolvido na operação que capturou o filho do famoso narcotraficante Joaquín “El Chapo” Guzmán no mês passado foi morto em plena luz do dia nesta semana.

O policial, chamado Eduardo N., foi morto em Culiacán, em Sinaloa, em 6 de novembro, cerca de três semanas depois que a polícia capturou Ovid Guzmán López, mas logo o deixou ir depois que membros do cartel correram para a área e Eles começaram a atirar.

Câmeras de vigilância capturaram o assassinato de Eduardo.

O policial estacionou seu carro branco perto de um shopping. Alguns segundos depois, um veículo vermelho parou ao lado do carro e homens armados saltaram, atirando no policial.

Os membros do cartel dispararam 155 balas contra o policial antes de retornar ao veículo vermelho, que foi embora rapidamente, informou Excelsior.

O policial fazia parte da Polícia Preventiva do Estado de Sinaloa e foi designado para proteger o subsecretário de Segurança Pública, Carlos Alberto Hernández Leyva.

Dois homens olham para os veículos queimados depois que homens armados pesadamente armados travaram uma batalha total contra as forças de segurança mexicanas em Culiacan, estado de Sinaloa, México, em 18 de outubro de 2019 (ALFREDO ESTRELLA / AFP através da Getty Images)
Dois homens olham para os veículos queimados depois que homens fortemente armados travaram uma batalha total contra as forças de segurança mexicanas em Culiacan, estado de Sinaloa, México, em 18 de outubro de 2019 (ALFREDO ESTRELLA / AFP através da Getty Images)

Eduardo fazia parte das forças de segurança antidrogas que patrulhavam a região quando Guzmán López foi capturado em 17 de outubro e ele não estava diretamente envolvido na tentativa fracassada de prender o filho do El Chapo, Cristóbal Castañeda Camarillo, informou o secretário de segurança pública em Sinaloa, de acordo com o El Heraldo de México.

A operação levou policiais a deter Guzmán López, mas após um intenso tiroteio entre policiais e membros do cartel, o suposto membro de alto escalão do cartel foi libertado.

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, defendeu repetidamente a posição de seu governo em relação aos cartéis, dizendo que os esforços para enfrentar a violência atrav[es da violência praticada pelas administrações anteriores não funcionaram.

O presidente Donald Trump pressionou Obrador a fazer um grande esforço contra os cartéis depois que nove cidadãos americanos foram mortos por pistoleiros do cartel nesta semana, mas Obrador disse que a situação não afetaria sua estratégia.

Leia também:

“Foi lamentável, doloroso porque as crianças morreram, mas queremos resolver o problema da mesma maneira (como as administrações anteriores)? Declarar guerra? ”, Perguntou ele em sua entrevista coletiva diária na quarta-feira, de acordo com a Fox News. “Isso, no caso do nosso país, mostrou que não funciona. Isso foi um fracasso. Isso causou mais violência.”

Obrador acrescentou: “O mal não pode ser confrontado com o mal. O mal precisa ser enfrentado pelo bem. Acreditamos que a vida é a coisa mais importante para proteger a vida de todos; a vida dos militares, a vida dos supostos criminosos e a vida dos civis”.

Sobre a decisão de libertar Guzmán López, o presidente disse: “Se tivéssemos agido conforme solicitado, eles teriam nos implorado, haveriam mais de 200 mortos”.

 

TE RECOMENDAMOS